Após contrato ser vazado da TV Cultura no valor de R$ 8 milhões com o Manhattan Connection, hashtag #MamataConnection fica no segundo lugar no Twitter

Dados da Imagem
Print do POLITZ dos Assuntos Mais Comentados do Twitter (Twitter / POLITZ).

Após contrato ser vazado da TV Cultura no valor de R$ 8 milhões com o Manhattan Connection, hashtag #MamataConnection fica no segundo lugar no Twitter​


Como demonstramos no print que ilustra a reportagem, a hashtag #MamataConnection fica já entre os dois assuntos mais comentados nos Top Trends da rede social Twitter no Brasil. A informação pode ser checada nos links fornecidos.

Todas as imagens que fazem parte dessa reportagem foram trazidas à tona pelos colegas do Crítica Nacional que levantaram uma série de críticas e perguntas sobre o assunto.

Tudo começou quando um contrato da TV Cultura de São Paulo, comandada pelo governador João Doria, com duração de 5 anos, no valor de R$ 8 milhões com a empresa Blend Negócios, Divulgação e Editoração LTDA vazou na internet:
1617629069684.png

A imagem é clara e objetiva, salvo uma terrível falsificação que aparentemente não procede, já que o próprio O Antagonista, também chefiado pelo jornalista Diogo Mainardi, publicou uma nota à imprensa sobre o assunto, que diz o seguinte:

O Manhattan Connection é 100% financiado por patrocinadores privados. Esses patrocinadores, todos eles captados pela Blend, depositam o dinheiro do patrocínio na TV Cultura, que repassa uma parte para a Blend, conforme estabelecido no contrato de parceria entre as duas empresas. A TV Cultura, portanto, só ganha com isso. Se os patrocinadores privados desistissem de anunciar no programa, ele acabaria no dia seguinte, porque a TV Cultura não é responsável por seu financiamento, nem pelo pagamento dos salários de seus apresentadores. A propósito, nenhum apresentador do Manhattan Connection é sócio da Blend.

O Antagonista, claro, não tem nada a ver com o Manhattan Connection, exceto por mim, que sou sócio do site e recebo um salário da Blend por meu trabalho no programa de TV, que iniciou em 2003.



Obviamente Mainardi ou qualquer um que tenha escrito o texto, apesar de ter sido assinado por ele, não resistiu e logo tratou de culpar os temidos "bolsonaristas" ao afirmar que Carlos Bolsonaro teria vazado o contrato para insinuar que O Antagonista teria recebido oito milhões de reais para atacar, o que Mainardi chama de "sociopata Jair Bolsonaro", atual Presidente da República.

A nota continua neste tom ridículo, mostrando um Diogo agressivo e acusando de ser uma mentira:

Na maioria das vezes, ignoro as tentativas dessa gentalha asquerosa de emporcalhar o trabalho do site; nesse caso, porém, o ataque envolve outras pessoas, de outras empresas, que não têm nada a ver com O Antagonista e não merecem ser jogadas no esgoto bolsonarista.

Os milicianos digitais tiveram o mérito de arrumar um bom apelido para o programa – “Mamata Connection”. Apesar disso, a mentira continua sendo uma mentira. E a mamata deles vai terminar em 2022.



Qualquer ****** que se preze sabe que diretamente o site O Antagonista não tem ligação nenhuma com o Manhattan Connection, com exceção de ambos serem comandados principalmente pelo veneziano Diogo Mainardi.

A empresa que fechou o negócio com a TV Cultura, conforme dados obtidos de sites oficiais do governo paulista, mostra que a Blend LTDA. foi aberta com um capital social de dez mil reais no dia 28/12/2020, um dia antes de fechar o contrato de 8 milhões de reais com a Fundação Padre Anchieta, celebrado enfim no dia 29/12/2020:
1617629574919.png


1617629628986.png

Os colegas do Critica Nacional também mostraram que o único sócio-proprietário da empresa de aporte milionário é o homem conhecido como Giberto Silva, membro do conselho editorial e funcionário do setor de marketing de uma revista de uma outra empresa, a Global Council of Sales Marketing, tendo o primeiro-vice-presidente nada mais que José Roberto Maluf, presidente da Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV Cultura:
1617629819842.png

Ainda é possível reviver o seguinte link do O Antagonista do dia 23/11/2020, que ainda não foi apagada, afirmando que o Manhattan Connection iria para a TV Cultura e que "o programa seria inteiramente financiado por patrocinadores privados":
1617629934830.png

Ora, receber dinheiro público, da TV Cultura, mantida por uma fundação estatal, não parece ter muita coerência da publicação do ano passado, né?

Bom, não é possível afirmar que realmente existe o setor privado também financiando o programa na TV Cultura, mas fica evidente o contrato de R$ 8 milhões de uma entidade pública.

Para finalizar, reproduzimos as perguntas que os nobres colegas do Crítica Nacional direcionaram ao Diogo Mainardi, muito pertinentes por sinal:

Perguntas que os antagonistas precisam responder agora:

Diante da revelação inequívoca de que o programa Manhattan Connection está sendo bancado com recursos públicos do contribuinte paulista, cabem agora algumas questões que precisam ser respondidas principalmente por Diogo Mainardi.

a) Se o blogueiro antagonista foi canalha o bastante para valer-se da matéria mentirosa de Felipe Moura Brasil sobre os supostos blogueiros de crachá, a qual ele endossou ao permitir sua publicação na Revista Crusoé e por ter repetido aquela narrativa incessantemente em seu blog O Antagonista, estaria ele sendo canalha o bastante agora para beneficiar-se, junto com seus colegas de bancada do Manhattan Connection, de um contrato de R$ 8 milhões em recursos públicos para atacar o Presidente Bolsonaro?

b) O jornalista Felipe Moura Brasil irá produzir uma reportagem de 14 páginas a ser publicada também na Revista Crusoé sobre os reais blogueiros de crachá de João Doria que, financiados por recursos públicos paulistas, articulam-se em um programa com audiência próxima do traço para atacar o Presidente Bolsonaro e blindar o proto-ditador tucano João Doria?

c) Quando o programa Manhattan Connection foi para a TV Cultura no início deste ano, Diogo Mainardi declarou: “temos liberdade total e absoluta (…) para descer a lenha em quem quer que seja, neste momento meu alvo principal é o Bolsonaro (…) mas vamos chutar todo mundo”. A pergunta que fazemos ao antagonista Diogo Mainardi é se o Manhattan Connection, a Revista Crusoé ou O Antagonista irão produzir matérias de jornalismo investigativo sobre contratos da Fundação Padre Anchieta com determinadas empresas e jornalistas. Ou o contrato de R$ 8 milhões que vocês têm com a fundação cria certos óbices para esta empreitada jornalística?

d) Por fim, Diogo Mainardi: você e os jornalistas dos veículos que você comanda fizeram acusações levianas e infundadas contra pessoas corretas e honestas, e com isto abriram caminho para agressões à liberdade de imprensa no país (agressões das quais vocês mesmos foram vítimas, ainda que tenham se calado covardemente depois). Agora está patente que vocês praticam jornalismo à soldo com recursos públicos, visando blindar um proto-ditador e atacar o Presidente da República. Por quanto tempo vocês acreditam que continuarão enganando a opinião pública brasileira com o jornalismo de esgoto que vocês praticam?



Por fim, registramos que no fechamento da nossa reportagem, a hashtag #MamataConnection já teria chegado a 269 mil tweets.

Acho que agora sabemos de onde vem tanta oposição do Diogo Mainardi, seu site e até mesmo de seus colegas contra o Presidente Jair Bolsonaro. Custa indiretamente, R$ 8 milhões para ficar 24 horas por dia falando do Bolsonaro.

Gosta do Nosso Trabalho?
O POLITZ é uma mídia livre, independente e que não recebe qualquer dinheiro público ou político/partidário e é mantida apenas por propagandas e assinaturas dos(as) nossos(as) leitores. Se você gosta do nosso trabalho, considere nos ajudar, desabilitando bloqueadores de propaganda e fazendo uma assinatura de qualquer valor.
Clique aqui para ser direcionado ao nosso Apoia.se

Nota Legal: Nossas publicação são necessariamente baseadas em fontes originárias/primárias/secundárias e são sempre citadas com os devidos links para conferência e verificação à informação, em respeito à responsabilidade solidária na via de dupla checagem dos fatos pelo POLITZ e pelo(a) próprio(a) leitor(a). Repudiamos as chamadas fake news, falsas narrativas e manipulações via desinformação propagadas pelas mídias tradicionais, criando mecanismos duplos para o fact checking.
Opiniões são diferentes de fatos publicados e noticiados e podem não representar necessariamente o posicionamento do POLITZ na qual exerce e defende incondicionalmente o direito à liberdade de expressão, livre manifestação de pensamento, de posicionamento político e religioso (Constituição Federal de 1988, art. 5º, incisos IV, VI, IX, XIX. - Pacto de San José da Costa Rica. Decreto n. 678/1992. arts. 12 e 13. - Declaração Universal dos Direitos Humanos, arts. 18 e 19 e outras legislações nacionais ou internacionais aplicáveis, especialmente nas quais a República Federativa do Brasil é signatária).
Créditos sempre devidos para todos os(as) autores(as), incluindo imagens de capa e do corpo, ilustrações e outras. Em caso de erro, correção, sugestão, violação de direitos autorais, utilize o botão "Denunciar", o formulário de "Contato" ou deixe um comentário. Tais solicitações são tratadas com prioridade.
Fontes das Informações


Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Comentários

Não há comentários para mostrar.

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
1.154
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom