#TraduçõesPOLITZ Como a Suécia com Sua Controversa Estratégia Vem se Provando Efetiva

Esse artigo faz parte da Série Um Outro Olhar Sobre a Pandemia Chinesa

Como a Suécia com Sua Controversa Estratégia Vem se Provando Efetiva

De acordo com o maior epidemiologista do país, a estratégia não usual para combater o Coronavírus vem apresentando resultados.


Por Niclas Rolander, para Bloomberg.
Artigo traduzido inteiramente pelo POLITZ.
Anders Tegnell [foto], o arquiteto por trás da resposta relativamente relaxada da Suécia ao Covid-19, disse à mídia local que os últimos números sobre taxas de infecção e mortes indicam que a situação está começando a se estabilizar. "Estamos em uma espécie de platô", disse Tegnell à agência de notícias sueca TT.

1588677067940.png

A Suécia deixou suas escolas, academias, cafés, bares e restaurantes abertos durante toda a propagação da pandemia. Com isso, o governo incentivou os cidadãos a agir com responsabilidade e seguir as diretrizes de distanciamento social.

A disseminação do Covid-19 em todo o mundo está desencadeando respostas diferentes nas fronteiras nacionais e até estaduais, enquanto as autoridades lutam para conter um surto sobre o qual muito permanece desconhecido.

Não está claro qual estratégia será a mais eficaz e até os especialistas da Suécia alertam que é muito cedo para tirar conclusões. Porém, dado o enorme dano econômico causado por estritos bloqueios, a abordagem sueca atraiu considerável interesse em todo o mundo.

Parte dessa abordagem se baseia no acesso a um dos melhores sistemas de saúde do mundo. Em nenhum momento a Suécia viu uma escassez real de equipamentos médicos ou capacidade hospitalar, e tendas montadas como unidades de atendimento de emergência em todo o país permaneceram praticamente vazias.

Taxas de Mortalidade

No domingo, a Suécia havia registrado 1.540 mortes ligadas ao Covid-19, um aumento de 29 em relação ao sábado. Isso é consideravelmente mais do que no resto da Escandinávia, mas muito menos do que na Itália, Espanha e Reino Unido, tanto em termos absolutos quanto relativos.

Tegnell não é o único funcionário de alto nível na Suécia a afirmar que o país pode estar entre os piores.

"A tendência que vimos nos últimos dias, com uma curva mais plana - onde temos muitos casos novos, mas não um aumento diário - está se estabilizando", disse Karin Tegmark Wisell, chefe do departamento de microbiologia da Autoridade de Saúde Pública da Suécia, na sexta-feira:

- "Estamos vendo o mesmo padrão para pacientes em terapia intensiva".
Apenas duas semanas atrás, o quadro era consideravelmente mais sombrio, e o primeiro-ministro Stefan Lofven sugeriu que o governo talvez precise rever sua abordagem em meio à perspectiva de milhares de mortes na Suécia. Em particular, o fracasso em proteger as pessoas em casas de repouso [para idosos] destacou-se como uma clara fraqueza, que contribuiu para taxas de mortalidade mais altas do que nos países vizinhos.

Nota do Editor: Fontes indicaram que tais mortes causadas pela chegada da doença em comunidades com mais idosos era esperada, já que se tratavam de um grupo de risco altamente frágil à doença.


"A proteção para as pessoas que cuidam de idosos deveria ter sido melhor", disse Lofven na semana passada. "Precisamos olhar mais de perto o que deu errado nestes casos."

No entanto, no geral, a estratégia de Lofven ganhou a aprovação dos suecos e sua popularidade pessoal aumentou.

"Confio muito nas autoridades suecas que gerenciam isso", disse o CEO da Volvo Cars, Hakan Samuelsson, em entrevista por telefone:

- "É um equilíbrio difícil de encontrar, mas tenho total confiança nas medidas que a Suécia tomou."
A Volvo, que foi forçada a interromper a produção na Europa e suspender cerca de 20.000 funcionários suecos, retomará a produção em suas fábricas suecas na segunda-feira.

"Nossas medidas são baseadas em indivíduos que assumem a responsabilidade, e isso também é uma parte importante do modelo sueco", disse Samuelsson.

A Economia

A estratégia Covid-19 da Suécia pode resultar em uma contração econômica menor - embora historicamente profunda - do que o resto da Europa está enfrentando agora, segundo James Pomeroy, economista da HSBC Global Research:

- "Embora a relutância da Suécia em bloquear o país possa vir a ser mal julgada, por enquanto, se a curva de infecção se estabilizar em breve, a economia poderá estar em melhor posição para se recuperar"
Pomeroy apontou algumas características suecas que podem estar ajudando o país a lidar com a atual crise. Mais da metade dos grupos familiares suecos são unipessoais, facilitando o distanciamento social. Mais pessoas trabalham em casa do que em qualquer outro lugar da Europa, e todos têm acesso à Internet rápida, o que ajuda grandes partes da força de trabalho a permanecer produtivas fora do escritório.

E enquanto muitos outros países introduziram leis rígidas, incluindo pesadas multas se as pessoas forem flagradas violando leis de distanciamento social recém-criadas, os suecos parecem seguir essas diretrizes sem a necessidade de legislação. As viagens de Estocolmo a Gotland - um popular destino de férias - caíram 96% no final de semana da Páscoa, de acordo com dados da maior operadora de celular do país, a Telia Company. E as estatísticas do serviço on-line Citymapper indicam uma queda de quase 75% na mobilidade na capital.

Recentemente, a Suécia também recuou contra a noção de que há pouco ou nenhum distanciamento social acontecendo.

"Não temos uma visão radicalmente diferente", disse a ministra das Relações Exteriores, Ann Linde, em entrevista à Rádio Suécia. “O governo tomou uma série de decisões que afetam toda a sociedade. É um mito que a vida continue como normal na Suécia."
Créditos Autorais:
Niclas Rolander. Sweden Says Controversial Virus Strategy Proving Effective. Bloomberg. 2020.

Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Comentários

Não há comentários para mostrar.

Conteúdo da Série

Estudo Científico: Mortalidade chega à 0,1% A Estratégia da Suécia Vem Mostrando Efetividade OMS afirma a Suécia tem "modelo a ser seguido" Governador de NY se diz chocado: 66% das pessoas internadas pelo vírus chinês estavam em casa, em quarentena. Segundo estudo, Lockdowns contra o Coronavírus causaram milhões de mortes no mundo Estudo científico: Lockdowns/quarentenas não apresentam benefícios contra a pandemia Estudo: 88% dos pacientes internados pelo Coronavírus em Nova York tinham ao menos 2 doenças preexistentes. Outro Prêmio Nobel Critica Previsões e Dispensa Interferência Governamental Sinais de Intervenção Humana No Vírus Chinês Lockdowns Não Provaram Sua Efetividade Nem Comprovações Científicas ou Empíricas Stanford: Vírus Chinês é Menos Mortal que a Gripe Comum E o Ganhador Nobel Está de Volta Criticando Os Lockdowns O Medo, o Pensamento de Manada e os Lockdowns Dados oficiais do CDC contrariam números divulgados por mídias Diretor da OMS Foi Membro de Um Violento Partido Comunista na Etiópia A Falha do Modelo Italiano de Isolamento/Quarentena Estudo da Alemanha: Maioria da população já está imune Os Lockdowns e Quarentenas Não Vão Parar a Pandemia Cientistas Chineses: 'Parece uma combinação de AIDS e SARS' Coronavírus pode ser arma biológica da China Ganhador de Prêmio Nobel: 'Coronavírus foi criado em laboratório e tem traços do HIV' Praga chinesa pode ter começado em setembro, segundo cientistas de Cambridge Epidemiologista Suéco: Quarentenas e Lockdowns são medidas erradas Harvard: Dados de Satélite Indicam Coronavírus Ativo Desde Outubro/2019 Governo de São Paulo erra previsões fatais em pelo menos 55% Estudo de Harvard: Mortalidade é menor do que o estimado pela OMS Brasil com menor índice de letalidade Cientista do Reino Unido erra feio em previsão de letalidade A Solução da Suécia

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
379
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom