Completamente alheio à sua própria realidade política, rejeitado no modelo das prévias do próprio partido tucano, João Doria confirma pré-candidatura

Dados da Imagem
João Doria, o futuro candidato à Presidência da República (Reprodução / Redes Sociais).

Completamente alheio à sua própria realidade política, rejeitado no modelo das prévias do próprio partido tucano, João Doria confirma pré-candidatura​


Será que o governador de São Paulo, João Doria, tem o mínimo conhecimento acerca da sua própria realidade política?

Ao que parece, não. Ou pelo menos ao que parece para o POLITZ onde vídeos nas redes sociais que circulam com sua presença, o político é amplamente rejeitado pelo povo, inclusive aparecendo recentemente dando "tchau" e acenos para fantasmas e figuras de outra realidade paralela.

Vejam o nível patético que Doria chegou:


Assim, trazendo ao menos 3 fontes primárias sobre as informações à seguir, retirando nossas próprias opiniões pessoais acima, temos alguns fatos que devem ser publicados acerca do futuro político do agora, pré-candidato à Presidência da República, para enfrentar nada mais e nada menos que o próprio Presidente Jair Bolsonaro, um fenômeno político mundial.

Em um primeiro momento, publicado por um site conhecido por publicar fofocas e boatos que não dota de tanta credibilidade como aparenta dotar e uma irrelevância de engajamento visível em redes sociais, os Antas afirmaram ontem que por 21 votos contra 11, a executiva nacional do tucanato, ou seja, o PSDB, rejeitou as regras propostas pelo João Doria para as prévias que definirão o candidato do partido para o pleito de 2022.

João Doria queria um modelo dentro do partido que poderia beneficiá-lo, por uma divisão igualitária de dois grupos (filiados com mandato eletivo e filiados sem mandato). Concorrentes como Tasso Jereissati e Eduardo Leite, outros tucanos irrelevantes no cenário nacional, segundo a fonte primária, rejeitaram de cara a proposta do governador de São Paulo.

A eleição interna do partido está marcada para o dia 21 de novembro e não vemos qualquer chance de Doria conseguir qualquer sucesso dentro do tucanato mor.

Já outro jornalista de outra fonte primária citada por nós, também conhecido pelos seus delírios em redes sociais, é bem conhecido e tem bastante acesso ao meio das fofocas políticas que rodeiam os bastidores nacionais (até certo ponto, óbvio, afinal, estamos tratando de membros da velha mídia), trouxe novas informações afirmando que Doria pode até mesmo trocar de partido se isso for necessário para que ele se candidate à Presidência da República.

O jornalista informa que a resistência interna do tucanato contra João Doria é alta e seu nome é fraco. As pesquisas de intenção de voto por ele indicam que nem mesmo ele conseguiria se reeleger como governador. A informação é que dentro do PSDB ele é um "estranho no ninho", correndo o risco até de ser abandonado pelo partido durante a campanha caso vença as primárias internas do partido.

Conforme o jornalista publicou:

Um tucano de bico afiadíssimo confidenciou a este blog que Doria, caso seja derrotado nas prévias, trocará o PSDB por outro partido para ser candidato a presidente de qualquer jeito. Por ora, parece pura maldade. A conferir mais adiante.

De qualquer forma, independente da realidade paralela em que João Doria vive, achando que consegue se eleger até para vereador ou síndico de condomínio, os colegas do Conexão Política afirmaram nessa última terça-feira, que João Doria confirmou sua intenção de concorrer ao cargo de Presidente da República em 2022.

A informação foi dada em entrevista pelo próprio governador à Rádio CBN, tentando disputar as tais prévias do partido para ser aprovado como candidato.

Depois dessa desastre que foi como governador, com uma popularidade e carisma dignos de um pote de arroz velho, Doria na verdade precisa é se aposentar e ir cuidar dos seus negócios que temos certeza que ganhará bem mais na sua vida.

Gosta do Nosso Trabalho?
O POLITZ é uma mídia livre, independente e que não recebe qualquer dinheiro público ou político/partidário e é mantida apenas por propagandas e assinaturas dos(as) nossos(as) leitores. Se você gosta do nosso trabalho, considere nos ajudar, desabilitando bloqueadores de propaganda e fazendo uma assinatura de qualquer valor.
Clique aqui para ser direcionado ao nosso Apoia.se

Nota Legal: Nossas publicação são necessariamente baseadas em fontes originárias/primárias/secundárias e são sempre citadas com os devidos links para conferência e verificação à informação, em respeito à responsabilidade solidária na via de dupla checagem dos fatos pelo POLITZ e pelo(a) próprio(a) leitor(a). Repudiamos as chamadas fake news, falsas narrativas e manipulações via desinformação propagadas pelas mídias tradicionais, criando mecanismos duplos para o fact checking.
Opiniões são diferentes de fatos publicados e noticiados e podem não representar necessariamente o posicionamento do POLITZ na qual exerce e defende incondicionalmente o direito à liberdade de expressão, livre manifestação de pensamento, de posicionamento político e religioso (Constituição Federal de 1988, art. 5º, incisos IV, VI, IX, XIX. - Pacto de San José da Costa Rica. Decreto n. 678/1992. arts. 12 e 13. - Declaração Universal dos Direitos Humanos, arts. 18 e 19 e outras legislações nacionais ou internacionais aplicáveis, especialmente nas quais a República Federativa do Brasil é signatária).
Créditos sempre devidos para todos os(as) autores(as), incluindo imagens de capa e do corpo, ilustrações e outras. Em caso de erro, correção, sugestão, violação de direitos autorais, utilize o botão "Denunciar", o formulário de "Contato" ou deixe um comentário. Tais solicitações são tratadas com prioridade.
Fontes das Informações


Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Comentários

Não há comentários para mostrar.

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
311
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom