Em resposta as narrativas implantadas de impeachment contra o Presidente Bolsonaro, #QueroBolsonaroAte2026 chega em primeiro lugar

Dados da Imagem
Print do POLITZ retirado do próprio Twitter no momento da reportagem (Divulgação / POLITZ).

Em resposta as narrativas implantadas de impeachment contra o Presidente Bolsonaro, #QueroBolsonaroAte2026 chega em primeiro lugar


É bastante previsível como a mídia e a militância da oposição age em desfavor de seus adversários políticos, não sendo nada difícil adivinhar o que acontece nos bastidores políticos.

Primeiro, planta-se uma narrativa, no caso, de que a questão das vacinas foi mal gerida pelo governo de Jair Bolsonaro. Depois, um, dois ou três e mais políticos começam a se manifestar pelo impeachment, já que para eles, Bolsonaro praticamente está repetindo o nazismo de Hitler com Auschwitz, matando pacientes com gás.

De Luciano Huck, João Amoedo e até William Bonner, tivemos até personalidades abraçando a causa, sem nenhum tipo de movimento orgânico e natural. Depois, temos políticos como Rodrigo Maia e João Doria, que representam tanto a população como uma girafa representa a Amazônia brasileira.

Para dar um certo ar de legitimidade, alguns prováveis bots e provavelmente até algumas pessoas acabam adotando o discurso, que chegou a atingir quase 8 mil tweets pedindo o impeachment do Presidente.

E nisso, a mídia tradicional, também ligada ao establishment, começa a repetir histórias, com seus "colunistas" e "especialistas" isentos dando as suas opiniões, começam a iniciar uma série de reportagens, notícias, colunas e textos pedindo o impeachment do Presidente.

Sempre tentando dar um ar de naturalidade, de legitimidade e de algo que surgiu naturalmente entre a população. Só que não. Os movimentos dos grupos do establishment são muito fáceis de serem vistos, quilômetros de distância. Nada sutil.

Como tudo isso é muito fácil de prever, internautas em favor do Presidente Jair Bolsonaro, ligados à direita conservadora e imunes às narrativas da grande imprensa e de políticos e personalidades ligadas ao establishment se organizaram para contra-atacar.

Com acusações de quem são bots, perfis falsos e outros, nunca comprovados concretamente em sede judicial ou qualquer outro tipo de prova jurídica realmente verdadeira onde nem mesmo a própria CPMI das Fake News, seja a lançada pelo Senado ou pelo Estado de São Paulo, simplesmente não conseguiram chegar à lugar nenhum, nem mesmo uma bot net, um responsável ou qualquer coisa do tipo.

O establishment não consegue suportar perder o controle da sua manada. É impressionante a forma quase criminosa como eles agem, sendo facilmente previsto cada movimento. E a população percebe isso muito bem.

Assim, chegando já a quase 300 mil tweets, o assunto #QueroBolsonaroAte2026 chegou em primeiro lugar, desde ontem à noite nos Assuntos Mais Comentados do Twitter, ou os Top Trends como é conhecido entre os mais íntimos.

Para verificar os Assuntos Mais Comentados no Twitter, basta clicar nos links que oferecemos.

Não deu certo mais uma vez, establishment. Quando vão aprender?

1611060356028.png

Gosta do Nosso Trabalho?
O POLITZ é uma mídia livre, independente e que não recebe qualquer dinheiro público ou político/partidário e é mantida apenas por propagandas e assinaturas dos(as) nossos(as) leitores. Se você gosta do nosso trabalho, considere nos ajudar, desabilitando bloqueadores de propaganda e fazendo uma assinatura de qualquer valor.
Clique aqui para ser direcionado ao nosso Apoia.se

Nota Legal: Nossas publicação são necessariamente baseadas em fontes originárias/primárias/secundárias e são sempre citadas com os devidos links para conferência e verificação à informação, em respeito à responsabilidade solidária na via de dupla checagem dos fatos pelo POLITZ e pelo(a) próprio(a) leitor(a). Repudiamos as chamadas fake news, falsas narrativas e manipulações via desinformação propagadas pelas mídias tradicionais, criando mecanismos duplos para o fact checking.
Opiniões são diferentes de fatos publicados e noticiados e podem não representar necessariamente o posicionamento do POLITZ na qual exerce e defende incondicionalmente o direito à liberdade de expressão, livre manifestação de pensamento, de posicionamento político e religioso (Constituição Federal de 1988, art. 5º, incisos IV, VI, IX, XIX. - Pacto de San José da Costa Rica. Decreto n. 678/1992. arts. 12 e 13. - Declaração Universal dos Direitos Humanos, arts. 18 e 19 e outras legislações nacionais ou internacionais aplicáveis, especialmente nas quais a República Federativa do Brasil é signatária).
Créditos sempre devidos para todos os(as) autores(as), incluindo imagens de capa e do corpo, ilustrações e outras. Em caso de erro, correção, sugestão, violação de direitos autorais, utilize o botão "Denunciar", o formulário de "Contato" ou deixe um comentário. Tais solicitações são tratadas com prioridade.
Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Comentários

Não há comentários para mostrar.

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
280
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom