Enquanto WhatsApp fica estagnado na China, concorrentes melhores como Telegram e Signal crescem no país comunista

Dados da Imagem
Imagem ilustrativa (Divulgação / Sapo.pt).

Enquanto WhatsApp fica estagnado na China, concorrentes melhores como Telegram e Signal crescem no país comunista​


A disputa pelo mercado de mensageiros eletrônicos instantâneo está se acirrando cada vez mais, conforme mostram dados da fonte originária, envolvendo até mesmo a China comunista, com o maior firewall de censura e controle de informações na internet do mundo.

O WhatsApp quebrou a cara feio ao divulgar os novos Termos de Uso, que obrigatoriamente impõe ao usuário compartilhar diversos dados com o Facebook, inclusive está sendo processado na Índia e entidades consumeristas no Brasil estudam maneiras de interromper extrajudicialmente ou até mesmo judicialmente a imposição monocrática da empresa.

Os novos Termos que refletiram em ações no mundo inteiro, encontraram resistência até mesmo na China comunista, mostrando que o Signal e o Telegram, ambos concorrentes do WhatsApp estão em pleno crescimento, enquanto o segundo está totalmente estagnado na quantidade de usuários.

A empresa de pesquisas Sensor Tower divulgou dados novos em relação aos apps de mensagens, mostrando o primeiro somou 9 mil novos downloads entre 8 e 12 de janeiro (alta de 500% em comparação com o período de 3 a 7 de janeiro), o segundo foi baixado ao menos 17 mil vezes nos mesmos dias citados, movimento 6% maior que nos anteriores. Por outro lado, a adesão ao WhatsApp estagnou, limitada a 10 mil downloads em ambos os períodos. No cenário geral, segundo a companhia, o Telegram atingiu 2,7 milhões de instalações no país asiático, o Signal 458 mil e o WhatsApp 9,5 milhões.


Gosta do Nosso Trabalho?
O POLITZ é uma mídia livre, independente e que não recebe qualquer dinheiro público ou político/partidário e é mantida apenas por propagandas e assinaturas dos(as) nossos(as) leitores. Se você gosta do nosso trabalho, considere nos ajudar, desabilitando bloqueadores de propaganda e fazendo uma assinatura de qualquer valor.
Clique aqui para ser direcionado ao nosso Apoia.se

Nota Legal: Nossas publicação são necessariamente baseadas em fontes originárias/primárias/secundárias e são sempre citadas com os devidos links para conferência e verificação à informação, em respeito à responsabilidade solidária na via de dupla checagem dos fatos pelo POLITZ e pelo(a) próprio(a) leitor(a). Repudiamos as chamadas fake news, falsas narrativas e manipulações via desinformação propagadas pelas mídias tradicionais, criando mecanismos duplos para o fact checking.
Opiniões são diferentes de fatos publicados e noticiados e podem não representar necessariamente o posicionamento do POLITZ na qual exerce e defende incondicionalmente o direito à liberdade de expressão, livre manifestação de pensamento, de posicionamento político e religioso (Constituição Federal de 1988, art. 5º, incisos IV, VI, IX, XIX. - Pacto de San José da Costa Rica. Decreto n. 678/1992. arts. 12 e 13. - Declaração Universal dos Direitos Humanos, arts. 18 e 19 e outras legislações nacionais ou internacionais aplicáveis, especialmente nas quais a República Federativa do Brasil é signatária).
Créditos sempre devidos para todos os(as) autores(as), incluindo imagens de capa e do corpo, ilustrações e outras. Em caso de erro, correção, sugestão, violação de direitos autorais, utilize o botão "Denunciar", o formulário de "Contato" ou deixe um comentário. Tais solicitações são tratadas com prioridade.
Fontes das Informações
Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Comentários

Não há comentários para mostrar.

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
337
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom