Filosofia & Música.

Diversos filósofos e teóricos da música ao longo da história compreenderam um vínculo entre essas duas áreas. Estabelecendo que a música expressa, enquanto processo criativo e sentimental, questões que cabem ao campo filosófico, assim como a arte em si e toda área que abrange uma liberdade e espaço para o pensamento filosófico.

Vinicius Santa Rosa é artista, músico e compositor. Segue a arte como uma hereditariedade, dotado de um amor artístico admirável.

(Paulo)
Como você enxerga a música enquanto criação da expressão artística do homem?

(Vinicius)
Nós temos diversas vertentes da arte. Todas, inclusive em níveis de hierarquia. A primeira, a segunda e assim sucessivamente. Eu não por ser músico, compositor, mas pela paixão, considero a música a arte essencial. Como compositor sou privilegiado no que venho fazendo a tantos anos, e é justamente com relação ao que nós músicos compositores proporcionamos, inclusive, as outras artes. Veja bem o que é um filme sem música, uma peça sem sua trilha, que seja esta uma trilha incidental, até em uma obra de arte, como um quadro ou escultura você consegue ver sonoridade, claro como em tudo, temos que ter uma certa sensibilidade. Mas posso dizer que a música vem fazendo parte da criação do homem e da vida efetivamente desde os primórdios.

(Paulo)
Como discernir mercado musical da música enquanto pura arte e representação emocional?

(Vinicius)
A música como qualquer produto se faz necessário ir para a prateleira, que hoje são as plataformas digitais. Assim surge a propaganda e em seguida a aquisição de acordo com o alvo a ser atingido ou gênero e gosto. Mas isso não impõe critério, eu tenho gosto e opinião formada, mas é particular. Claro que há regras e exceções e também os extremos, nem tudo pode ser chamado de música, mas pode ser um produto e fazer sucesso no mercado.

(Paulo)
Kant na sua explicação sobre o belo e o sublime expressa nas entrelinhas que a música pode pertencer a ambos, tanto ao belo quanto ao sublime. Levando a estética Kantiana em consideração, podemos afirmar que a musica enquanto "belo" é uma representação artística genuína?

(Vinicius)
A música pra ser genuína tem que ter melodia, e seus elementos essenciais. Para ser sublime tem que atingir profundamente a alma e sair da alma. Assim ela deverá ser conceituada como música genuína bela e por tanto sublime.

(Paulo)
Existe uma espécie de aristocracia na música?

(Vinicius)
Hoje, acredito que não, o mundo da música é muito eclético e diversificado. O que era clássico pode virar eletrônico, o que era rock pode se transformar em jazz. Não, não acredito em aristocracia na música nem em lugar algum.

(Paulo)
É possível se tornar melhor enquanto homem através da musicalidade?

(Vinicius)
A música é um bálsamo, um livramento, uma forma de exercício da alma para quem faz e para quem escuta. A música proporciona tranquilidade e aguça o raciocínio. Música é bom em qualquer lugar, claro, com os critério certos para cada situação.
Sobre o(a) Autor(a):
Paulo Santos
Paulo H. Santos é universitário de história e estudante voluntário e apaixonado de filosofia entre outras áreas de estudo.

Comentários

Show de bola, eu acredito que no que fala sobre se tornar melhor enquanto homem através da música seja uma entrada para uma longa discussão envolvendo cultura, educação e moral.
 

Informações da Publicação

Autor(a)
Paulo Santos
Visual.
464
Comentários
2
Última atualização

Mais em Colunistas

Mais de Paulo Santos

Compartilhar

Top Bottom