JUIZ DA PENSILVÂNIA BLOQUEIA CERTIFICAÇÃO DOS RESULTADOS ELEITORAIS DO ESTADO EM DECISÃO EXTRAORDINÁRIA

O POLITZ continua com sua cobertura implacável das eleições americanas, trazendo para vocês novamente (e para a choradeira de muitos), a já conhecida fonte originária na qual prezamos muito, o jornal americano e nova-iorquino, The Epoch Times, que como sempre, vem realizando um trabalho excepcional sobre o pleito eleitoral nos Estados Unidos, notícias do mundo e principalmente, sobre a ditadura comunista da China.

Em primeira mão no Brasil pelo POLITZ, informamos que um juiz estadual determinou nessa quarta-feira que as autoridades estaduais não certifiquem os resultados eleitorais das eleições de 2020, até pelo menos que a audiência do processo judicial aberto pela Campanha de Donald Trump seja realizada na próxima sexta-feira.

A juíza da Commonwealth, Patricia McCullough, ordenou que o estado não tomasse mais medidas para concluir a certificação da corrida presidencial, que o estado anunciou na terça-feira. Ela também bloqueou a certificação de todos os outros resultados eleitorais.

"Na medida em que reste qualquer ação adicional para aperfeiçoar a certificação dos resultados das Eleições Gerais de 2020 para os cargos de Presidente e Vice-Presidente dos Estados Unidos da América, os réus são preliminarmente proibidos de fazê-lo, enquanto se aguarda uma audiência probatória para ser realizada na sexta-feira", escreveu a juíza em sua ordem (que pode ser lida aqui).

"Os réus estão liminarmente proibidos de certificar os resultados restantes da eleição, enquanto se aguarda a audiência de prova."

McCullough está presidindo uma ação movida por legisladores e candidatos Republicanos contra a Comunidade da Pensilvânia, o governador Democrata Tom Wolf, a secretária de Estado Kathy Boockvar e a Assembleia Geral da Pensilvânia.

Os demandantes alegaram que o voto por correspondência da Pensilvânia - Lei 77 - viola a constituição estadual.

"A Lei 77 é a mudança mais ampla e fundamental para o código de votação da Pensilvânia, implementado ilegalmente, até o momento", afirma a ação, movida no Tribunal da Comunidade da Pensilvânia.

"Tal como acontece com as tentativas históricas anteriores de expandir ilegalmente a votação por correspondência por estatuto, que foram derrubadas desde a Lei do Cédula de Ausência Militar de 1839, a Lei 77 é outra tentativa ilegal de anular as limitações de voto ausente prescritas no Constituição da Pensilvânia, sem primeiro seguir o procedimento necessário para emendar a constituição para permitir a expansão."

Os demandantes incluem o deputado Mike Kelly (R-Pa.), O candidato republicano ao congresso Sean Parnell e o candidato à Câmara dos Representantes da Pensilvânia, Wanda Logan.

O gabinete do governador Wolf não respondeu a um pedido de comentário realizado pela fonte originária. Não está claro quais passos faltaram até a manhã de quarta-feira para "aperfeiçoar" a certificação das corridas presidencial e vice-presidencial.
Fontes das Informações
Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Comentários

Não há comentários para mostrar.

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
435
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom