No Brasil e no mundo chamar alguém do qual você não concorda - ou não consegue ganhar no debate - de fascista virou quase que obrigação. Mas infelizmente é previsível isso, visto que após o fim da 2° guerra mundial e a queda de Mussolini o fascismo entrou em ascensão e os estudos sobre o mesmo foram dirigidos por historiadores, que colocavam a frente dos fatos suas ideologias. E 70 anos depois, denominar "o que é fascismo?" virou quase que uma pergunta do milhão. Se você não sabe, tudo bem, quase ninguém sabe mesmo e você vai ver porquê. Se eu te perguntar qual foi o filósofo do capitalismo você me responderá Adam Smith, o do comunismo Karl Marx, etc. Mas se eu te pergunto, "E do fascismo?". Não é que ele não existe, mas devidos aos historiadores - de esquerda - acabaram jogando ele para debaixo do tapete para a sociedade não saber as crenças do fascismo. Quem seria ele? Giovanni Gentile (1875-1944).

1563733995086.png

Gentile acreditava que haviam duas democracias, a democracia liberal - individualista, com direitos pessoais e com absoluta liberdade - e a "verdadeira" democracia - nela o individuo se subordina ao Estado (não esqueça disso) -. Ele assim como Marx, queria uma sociedade igualitária em que todos estavam juntos (como uma família) - tentador a ideia não? - logo se observa o quão o fascismo é semelhante ao comunismo, socialismo e nazismo. E não é por nada, mas os quatro tem comum as mesmas intenções:

- Controle de armas para não houver uma força contra o Estado;
  • Evolução através da Revolução;
  • Contra o cristianismo;
  • Estado grande, absoluto e inquestionável;
  • Tudo pelo partido, nada contra ele;
  • Controle da mídia, perseguição a opositores, fim de críticas;
  • Poder centralizado na mão de poucos;
  • Reescrever a história como exemplos;
  • Luta de classes para maior domínio das massas;

Enquanto para Marx, a sociedade é hierarquizada pela classe social. No fascismo é hierarquizada a partir da nacionalidade e pela classe, e não para por aqui, Gentile era um socialista e acreditava que o fascismo era a forma funcional do socialismo - pelo jeito até ele sabia que o socialismo não funciona -. Essa atitude de retirar o socialismo de ideologias "contrárias" como o nazismo vem desde de 1930, quando os fascistas alemães eram chamados de nazistas/nazis, que era aforma reduzida de nacional socialismo - para os que não sabem vem da sigla do partido nacional socialista dos trabalhadores alemães -;
1563734169612.png

Já que citei partido vou lembrar ou avisar você de algo, se lembra que eu disse que Gentile queria uma sociedade como uma família? Pois bem, em 1984 da convenção dos democratas o prefeito de Nova Iorque, Mario Cuomo, comparou a América como uma "grande família" no qual através do governo elas cuidariam umas das outras. 30 anos depois (2012) sabe qual foi o slogan da convenção dos Democratas? "O governo é a única coisa a qual todos pertencemos" Eles poderiam estar citando Gentile, mas dessa forma estariam expondo suas faces - como já é esperado -. Para Gentile toda a ação privada deve servir a sociedade, em outras palavras, não há diferença entre o interesse privado e o interesse público. E quem é o administrador de tudo isso? O Estado - a narrativa que o Fascismo é de extrema-direita já fica por aqui, pois a Direita é o Estado mínimo e seu extremo o fim do Estado - consequentemente se submeter a sociedade é se submeter ao Estado não só em questões econômicas mas em todas elas. Significa dizer que o Estado vai dizer como você pensa, o que você faz, quem você é, como age, etc - qualquer semelhança ao comunismo aqui é mera "coincidência" -. O ditador fascista Mussolini escreveu em A doutrina do Fascismo "Tudo está no Estado, e nada humano existe ou tem valor fora do Estado", isso me fez lembrar de outra frase dele "Tudo para o Estado, nada contra o Estado". E não é por nada, mas esse grande "amor" ao Estado de Mussolini para ele era uma maneira de resgatar todas as esferas da existência em comunidade deveriam ser unificadas através de um único norte centralizador. Esse norte, para Mussolini, seria o Estado.

Até aqui você percebeu o quanto Mussolini e Gentile eram esquerdistas e fascismo estava enraizado nesse espectro político, e que não ouvimos essas verdades da boca de um professor de história ou de um sociólogo. Se esse você for um esquerdista nato deve estar falando "Mas Mussolini e Hitler eram nacionalistas, assim como muitos da direita tipo o Trump, Bolsonaro, etc", explicarei que sim eles são nacionalistas, mas o nacionalismo não é algo da direita - como vimos, Hitler e Mussolini eram esquerdistas - o nacionalismo é muito mais que isso. Gandhi era nacionalista, Nelson Mandela era socialista, Fidel Castro era nacionalista, Guevara era nacionalista, Stalin era nacionalista, e se o nacionalismo é algo proveniente do Fascismo ou Nazismo, todos esses que citei eram também, mas não eram.

O que torna a esquerda hoje ser uma grande influenciada do fascismo, não é o nacionalismo, mas sim a devoção ao Estado e a grande perseguição a seus opositores. Aqui no Brasil você tinha o líder do CUT afirmando em Brasília que se a ex-presidente socialista Dilma sofresse impeachment, seu grupo iria pegarem armas para defender-la. Você tinha a presidente do PT Gleisi Hofmann deixando bem claro "Para prender o Lula vai ter que matar gente" - alias não morreu ninguém né? -. Você tinha o Comunista Lauro Lasi que fez um discurso de ódio contra os conservadores que disse "Uma boa espingarda, um bom paredão, uma boa pá e uma boa cova" isso claro para os conservadores. Você tinha o socialista Guilherme Boulos que disse em incendiar o país se a Dilma sofresse impeachment. Você tinha o ex-filiado ao PSOL Adélio Bispo que tentou assassinar o atual presidente conservador Jair Bolsonaro. Eu nem quero colocar o print de todos os usuários do Twitter que declaram morte à aqueles que não concordam.

Não é de hoje que eles agem como fascistas e nem será amanhã o fim, ao mesmo tempo que se intitulam "anti-fascistas". É obvio o uso desse títulos deles, visto que "fascista" se tornou em pleno seculo XXI o sentido pejorativo de alguém que não concorda com os marxistas. E isso surgiu lá com Antonio Gramsci que criou a ideia que somente o marxismo tem uma teoria racional da história e da sociedade, e se algo não for marxista estaria no irracional. E como o Fascismo não surgiu de Marx, ninguém estudou o Fascismo e quem criou as definições de hoje em dia do Fascismo foram os historiadores esquerdistas. Então amigo e caro leitor, quando você ver por aí um comunista ou socialista lhe chamando de fascista, lembre-se desse artigo e deixe ele simplesmente falar, não caia no jogo da ignorância de um Marxista.
Fontes das Informações
Dinesh D'Souza explica o fascismo a Larry King: Dinesh D'Souza - O fascismo é de direita ou de esquerda?: Olavo de Carvalho explica o que é o fascismo: Mises Brasil - O que realmente é o fascismo: https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1343
Instituto Liberal - Resenha crítica de "A doutrina do Fascismo": https://www.institutoliberal.org.br/blog/a-doutrina-do-fascismo-de-benito-mussolini/