Presidente do CFM afirma, em tom claro: 'Dizer que o tratamento precoce não tem efeito na fase inicial é mentira' e defende autonomia dos médicos

Dados da Imagem
Dr. Mauro Ribeiro, presidente do Conselho Federal de Medicina (Reprodução / Flickr / CFM).

Presidente do Conselho Federal de Medicina afirma, em tom claro: 'Dizer que o tratamento precoce não tem efeito na fase inicial é mentira' e defende autonomia dos médicos​


Nada mais e nada menos que o próprio presidente do Conselho Federal de Medicina, órgão máximo da classe profissional, o Dr. Mauro Ribeiro, jogou um belo de um banho de água bem fria nos que insistem que não existem tratamentos precoces contra a praga chinesa (Coronavírus/Covid-19).

Provavelmente em breve ele será silenciado, mas jogou uma verdade bem dolorida que poucas mídias estão com coragem de reproduzir.

Suas falas foram registradas inicialmente na fonte originária, o Jornal da Manhã, da Jovem Pan, nessa quinta-feira.

Ele foi bem claro em dizer na entrevista que não há qualquer embasamento de verdade que não há eficácia no tratamento precoce contra o COVID-19.

- "Infelizmente, certos assuntos foram proibidos. Essa história de que está estabelecido na literatura que o tratamento precoce não tem efeito na fase inicial é mentira"

Ele ainda disse: "Há trabalhos que mostram os benefícios na fase inicial, e outros, não. Essa é a realidade. Temos a relação dos trabalhos", acrescentou o médico.

Como bem o POLITZ entende, não existe uma verdade absoluta na ciência, tanto "defendida" por grupos políticos, da mesma forma que a democracia só funciona quando o lado deles ganha. Caso a ciência seja contrária aos interesses "deles", é uma ciência falsa e negacionista pelo visto.

Ele ainda disse que há muitas dúvidas no ar pairando sobre o COVID-19, como por exemplo o lockdown e ainda defendeu a total autonomia dos médicos para tratar seus próprios pacientes: "Quem tem atribuição legal de modo a definir o que pode ou não ser utilizado é o CFM [...] Qual foi a nossa postura sobre o tratamento precoce? Deixar o médico definir o que é melhor para o paciente dele".

“O CFM não incentiva o tratamento precoce ou o condena, tampouco bane”, afirmou. “Falar que a hidroxicloroquina e a ivermectina matam é falácia. Quem quer fazer o tratamento precoce, que faça. Quem não quiser, não faça”, observou.

Na entrevista, ele concluiu da seguinte forma:

- "A única saída que nós temos no momento, a mais plausível, é a vacinação. E o Conselho Federal de Medicina defende veementemente um programa de vacinação em massa no Brasil. E esse programa vai acontecer, porque tem muita coisa a ser enaltecida por parte do governo e por parte do ministro Eduardo Pazuello, que saiu do ministério sob pesadíssimas críticas”, disse. “As críticas são válidas. Nós mesmos criticamos bastante, tanto o ministério quanto o presidente, mas nós não procuramos culpados. Nós procuramos contribuir com os governos dentro das nossas competências legais”, explicou. Segundo Ribeiro, por esse motivo o CFM é taxado de bolsonarista e negacionista. “Simplesmente porque o CFM procura analisar o que acontece no mundo e o que acontece no Brasil. Procuramos encaminhar juntos aos responsáveis e dar sugestões que possam ajudar a população brasileira a vencer esse terrível adversário que nós temos hoje”, justificou. “Nós não temos precedentes na história. A única coisa que aconteceu parecido foi a gripe espanhola, há mais de 100 anos atrás. É a primeira vez na história do Brasil que nos deparamos com um inimigo tão forte quanto a Covid-19"

Gosta do Nosso Trabalho?
O POLITZ é uma mídia livre, independente e que não recebe qualquer dinheiro público ou político/partidário e é mantida apenas por propagandas e assinaturas dos(as) nossos(as) leitores. Se você gosta do nosso trabalho, considere nos ajudar, desabilitando bloqueadores de propaganda e fazendo uma assinatura de qualquer valor.
Clique aqui para ser direcionado ao nosso Apoia.se

Nota Legal: Nossas publicação são necessariamente baseadas em fontes originárias/primárias/secundárias e são sempre citadas com os devidos links para conferência e verificação à informação, em respeito à responsabilidade solidária na via de dupla checagem dos fatos pelo POLITZ e pelo(a) próprio(a) leitor(a). Repudiamos as chamadas fake news, falsas narrativas e manipulações via desinformação propagadas pelas mídias tradicionais, criando mecanismos duplos para o fact checking.
Opiniões são diferentes de fatos publicados e noticiados e podem não representar necessariamente o posicionamento do POLITZ na qual exerce e defende incondicionalmente o direito à liberdade de expressão, livre manifestação de pensamento, de posicionamento político e religioso (Constituição Federal de 1988, art. 5º, incisos IV, VI, IX, XIX. - Pacto de San José da Costa Rica. Decreto n. 678/1992. arts. 12 e 13. - Declaração Universal dos Direitos Humanos, arts. 18 e 19 e outras legislações nacionais ou internacionais aplicáveis, especialmente nas quais a República Federativa do Brasil é signatária).
Créditos sempre devidos para todos os(as) autores(as), incluindo imagens de capa e do corpo, ilustrações e outras. Em caso de erro, correção, sugestão, violação de direitos autorais, utilize o botão "Denunciar", o formulário de "Contato" ou deixe um comentário. Tais solicitações são tratadas com prioridade.
Fontes das Informações


Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Comentários

Não há comentários para mostrar.

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
530
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom