Site registra todos os estudos científicos do mundo feitos com a Hidroxicloroquina contra a praga chinesa: 76% deles comprovam sua efetividade

Um site ganhou bastante fama na internet após divulgar um tracking de todos os estudos científicos publicados no mundo sobre a utilização da Hidroxicloroquina/Cloroquina no tratamento da praga chinesa (Coronavírus/Covid-19).

Dos 59 estudos publicados, 37 já foram revisados por pares, um procedimento de segurança para garantir que as informações publicadas nos papers são fidedignas. O site realiza o monitoramento global dos estudos, na forma PrEP, PEP e tratamentos precoces, indicando alta efetividade caso o medicamento seja usado logo no início do aparecimento dos sintomas.

Em termos de porcentagem, 100% dos estudos científicos realizados que utilizavam o medicamento no início, obtiveram bons resultados contra o vírus chinês, por outro lado, se colocarmos todos os estudos, independente do início do tratamento, a porcentagem cai para 76% de efetividade.

Enquanto isso, como já demonstrado diversas vezes pelo POLITZ, a Hidroxicloroquina apresenta resultados que divagam caso utilizados como forma de tratamento no final da doença.

Traduzimos na íntegra parte das informações divulgadas pelo site, vejam conosco:

Mortes ajustadas à idade por milhão de COVID para países que usam HCQ vs. EUA / Reino Unido / França, onde a opinião tende a ser negativa.

A taxa de mortalidade do COVID varia em cerca de 4 ordens de magnitude, dependendo da idade, e a distribuição etária varia muito entre os países; portanto, as mortes são normalizadas de acordo com a distribuição relativa da população, com a França (a população mais antiga aqui) como base. Todos os países, exceto a França, mostram um número de mortes superior ao real por milhão - uma estimativa de mortes se a distribuição etária do país for a mesma da França.

As mortes por milhão de dados são de ourworldindata.org. A distribuição etária por país é das Nações Unidas. As estimativas de IFR baseadas na idade são de Verity et al., Lancet Infect. Dis., 2020, doi: 10.1016 / S1473-3099 (20) 30243-7. A CFR e a IFR dependem fortemente do grau e da precisão dos testes, limitando as conclusões, no entanto, também observamos uma forte correlação entre CFR e HCQ use como mostrado por @ gummibear737 e AAPS:

1595255545900.png


1595255558027.png

Não sabemos quantas pessoas serão infectadas pelo COVID no futuro, mas com base nas mortes até o momento, um tratamento com x% de eficácia poderia ter poupado:

10% efetivo poderia ter salvado 60.888 vidas.
25% efetivo poderia ter salvado 152.220 vidas.
50% efetivo poderia ter salvado 304.441 vidas.

Vocês podem verificar todo o compilado dos estudos, conforme suas datas de publicação, links diretos para os papers, dentre outras informações, acessando o link a seguir (em inglês):

Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
4.275
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom