Twitter praticamente confirma teoria do #QAnon e faz expurgo de 7 mil contas que divulgam o caso e limitando outras 150 mil

Em mais um expurgo feito pela rede social vermelha Twitter, dessa vez baniu simplesmente 7 mil contas autênticas e limitou pelo menos outras 150 mil que divulgam os fatos e teorias dos que consideram o caso #QAnon como uma "conspiração", praticamente confirmando a existência da mesma.

A companhia, contado do dia de ontem, classificará qualquer um que divulgue informações sobre o #QAnon como "conteúdo de atividade organizada de ódio", pois aumenta a "perseguição contra críticos do Presidente da República [Donald Trump]".

O Twitter anunciou na terça-feira que começou a tomar ações abrangentes para limitar o alcance do conteúdo do #QAnon, proibindo que falem sobre a teoria sobre justificativa de desinformação e "discurso de ódio".

O Twitter deixará de recomendar contas e conteúdo relacionado ao #QAnon, incluindo material no e-mail e tomará medidas para limitar a circulação do conteúdo em recursos como tendências e pesquisa. A ação afetará cerca de 150.000 contas, disse um porta-voz, que pediu para permanecer sem nome por causa de preocupações com o assédio direcionado a funcionários das mídias sociais.

O porta-voz disse que, como parte de sua nova política, a empresa retirou mais de 7.000 contas que divulgam informações sobre a teoria #QAnon nas últimas semanas por violar suas regras sobre assédio direcionado.

A ação abrangente de imposição proibirá que os termos relacionados ao #QAnon apareçam nos tópicos de tendências e o recurso de pesquisa da plataforma, banirá URLs conhecidos relacionados ao QAnon e proibirá o "enxame" de pessoas que são alvo infundadas de campanhas coordenadas de assédio promovidas pelos seguidores do QAnon.

O porta-voz disse que, enquanto a aplicação direcionada se enquadrava nas regras de manipulação de plataforma existentes do Twitter, sua classificação do material e comportamento do QAnon como atividade prejudicial coordenada era uma nova designação. O porta-voz disse que o Twitter estava agindo agora por causa do dano crescente associado à teoria da conspiração.

O Twitter planeja banir permanentemente contas que violem políticas relacionadas à manipulação de plataformas, evasão de proibições e operação de várias contas, comportamentos comumente usados pelas contas QAnon, disse o porta-voz. O Twitter começou a bloquear sites da QAnon na semana passada e continuará a bloquear a distribuição de URLs relacionados ao QAnon, disse o porta-voz.

QAnon é uma teoria da conspiração da direita que se baseia na crença infundada de que um informante anônimo está revelando como o presidente Donald Trump está liderando uma guerra secreta contra o chamado estado profundo - uma coleção de elites políticas, empresariais e de Hollywood que, segundo a teoria, adore Satanás e abuse e mate crianças. As raízes da teoria da conspiração cresceram a partir de Pizzagate, que afirmava que Hillary Clinton dirigia um anel de pedofilia em uma pizzaria de Washington, DC.

O QAnon emergiu das margens da comunidade de conspiração da Internet para se tornar um fenômeno político reconhecido, com os apoiadores de Trump aparecendo em eventos com mercadorias "Q".

Vejam a thread de tweets publicados pela plataforma informando o caso:

Fontes das Informações
Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Comentários

Expurgos comunistas do Século XXI.
Já que agora pega muito mal fazer expurgo físico, então faz o virtual e o de reputações.
 

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
748
Comentários
3
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom