Virologista chinesa foge de Hong Kong e acusa o Partido Comunista Chinês de acobertar a pandemia do Coronavírus

Uma virologista altamente respeitada na China fugiu de Hong Kong para colocar a boca no trombone contra o Partido Comunista Chinês por ter acobertado a pandemia causada pelo Coronavírus/Covid-19.

Conforme noticiado pela fonte originária, ela afirma que o governo chinês já sabia sobre o Covid-19 muito antes de terem declarado publicamente a situação e que seus supervisores, onde ela trabalhava, especialistas no assunto, ignoraram suas pesquisas que ela estava realizando sobre o assunto, que poderiam ter salvo milhares de vidas, em uma entrevista exclusiva concedida à Fox News.

A Dra. Li-Meng Yan, especialista em imunologia e virologia na Escola de Saúde Pública da Universidade de Hong Kong, fugiu da região em 25 de abril diretamente para os Estados Unidos, sabendo que se fosse pega pelo PCC, ela com certeza seria presa ou "desapareceria misteriosamente".

Conforme a Fox News publicou:

- "Ela acrescenta que eles provavelmente tinham a obrigação de contar ao mundo, dado seu status como laboratório de referência da Organização Mundial da Saúde, especializado em vírus e pandemias da gripe, especialmente quando o vírus começou a se espalhar nos primeiros dias de 2020.

Yan, agora escondida, afirma que o governo do país em que nasceu está tentando destruir sua reputação e acusa os capangas do governo de coreografar um ataque cibernético contra ela na esperança de mantê-la quieta. Yan acredita que sua vida está em perigo. Ela teme que nunca possa voltar para sua casa e viva com a dura verdade de que provavelmente nunca mais verá seus amigos ou familiares lá.

Ainda assim, ela diz que o risco vale a pena.


"A razão pela qual vim para os EUA é porque transmito a mensagem da verdade sobre o COVID", disse Yan a Fox em um local não revelado.

Yan diz que ela foi uma das primeiras cientistas do mundo a estudar o COVID-19 (além dos pesquisadores de Wuhan, talvez) depois que o supervisor, Dr. Leo Poon, pediu que ela visse "o estranho agrupamento de casos semelhantes a SARS que estariam surgindo" da China continental no final de dezembro de 2019 ", de acordo com o relatório.

"O governo da China se recusou a permitir que especialistas no exterior, inclusive em Hong Kong, pesquisassem na China", disse ela. "Então virei-me para meus amigos para obter mais informações."

Os colegas do continente de Yan - um dos quais trabalhava no Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças, teriam dito a Yan em 31 de dezembro que o vírus era transmissível entre humanos muito antes do PCC ou da OMS inverter o discurso e admitir que a transmissão era possível. Depois que ela contou ao chefe "ele apenas concordou", disse ela.

Dias depois que seus contatos do PCC lhe falaram sobre a transmissão de humano para humano, a OMS divulgou uma declaração em 9 de janeiro dizendo: "Segundo as autoridades chinesas, o vírus em questão pode causar doenças graves em alguns pacientes e não transmite facilmente entre pessoas. ... Há informações limitadas para determinar o risco geral desse cluster relatado."

O vídeo da entrevista está aqui, legendado em inglês:


Yan disse que a discussão entre colegas na China sobre a doença teve uma mudança acentuada depois que "médicos e pesquisadores que discutiam abertamente o vírus de repente se fecharam". Os contatos em Wuhan ficaram completamente escuros e outros alertaram para não perguntar sobre o vírus - dizendo a Yan: "Não podemos falar sobre isso, mas precisamos usar máscaras".

"Há muitos pacientes que não recebem tratamento a tempo e diagnóstico a tempo", disse Yan, acrescentando que "os médicos do hospital estão assustados, mas não podem falar. A equipe do CDC está assustada".

A reportagem da Fox News continua:

Ela disse que relatou suas descobertas ao supervisor novamente em 16 de janeiro, mas foi quando ele supostamente disse a ela para "ficar calada e ter cuidado".

"Como ele me alertou antes, 'não toque na linha vermelha'", disse Yan, referindo-se ao governo. "Nós vamos ter problemas e seremos desaparecidos."

Ela também afirma que o co-diretor de um laboratório afiliado à OMS, Professor Malik Peiris, sabia sobre o surto, mas não fez nada a respeito.

Peiris também não respondeu aos pedidos de comentário. O site da OMS lista Peiris como um "consultor" do Comitê de Emergência dos Regulamentos Sanitários Internacionais da OMS para Pneumonia devido ao novo Coronavírus 2019-nCoV.

Yan estava frustrada, mas não surpresa com a situação.


"Eu já sei que isso aconteceria porque conheço a corrupção entre esse tipo de organização internacional como a OMS no governo da China e no Partido Comunista da China", disse Yan. "Então, basicamente... eu aceito, mas não quero que essa informação enganosa se espalhe pelo mundo."

A OMS nega que o professor Malik Peiris trabalhe diretamente para a organização, dizendo a Fox em um comunicado:

"O professor Malik Peiris é um especialista em doenças infecciosas que participou de missões e grupos de especialistas da OMS - assim como muitas pessoas eminentes em seus campos", acrescentando que isso não faz dele um membro da equipe da OMS, nem ele representa a OMS".


Enquanto isso, um morador local de Pequim diz que o Partido Comunista Chinês está encobrindo novos casos de vírus em um bairro local, de acordo com o Epoch Times:

Duas pessoas que vivem no complexo residencial de Liuyi, localizado no distrito de Daxing, foram recentemente infectadas pelo vírus do PCC, de acordo com uma moradora chamada Li, que conhece as informações locais sobre surtos de vírus.

Todo o complexo, que abriga cerca de 1.000 moradores, foi trancado após a descoberta dos novos casos, em 4 de julho; apenas um pequeno portão permanece aberto para entregas de supermercado, disse ela.

No entanto, a comissão municipal de saúde de Pequim não registrou nenhum paciente confirmado do composto Liuyi nos últimos dias.

Li compartilhou com o Epoch Times uma lista do governo de empresas locais e complexos residenciais encarregados de realizar desinfecção sistemática e testes de ácido nucleico, incluindo um total de 43 locais em Pequim.

No entanto, na categoria distrito de Daxing na lista, faltava o complexo residencial Liuyi, o que Li acredita ser porque as autoridades de Pequim tentaram propositalmente ocultar as novas infecções.


Por que a China se esforçaria tanto para encobrir um surto natural de um coronavírus ultra-virulento que eles insistem que não foi criado em um de seus laboratórios?
Fontes das Informações
  • Wow
Reactions: Gado de Batalha
Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Comentários

Mui interessante, especialmente a parte sobre o cara da própria OMS querendo encobrir o surto

P.s.: linda virologista asiática
 

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
5.660
Comentários
1
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom