Vladimir Putin bane oficialmente o casamento homoafetivo na Rússia, promulgando lei que define formalmente a união de "homem e mulher"

Dados da Imagem
O símbolo sagrado do casamento cristão, com uma bandeira LGBT por baixo (Reprodução / WB).

Vladimir Putin bane oficialmente o casamento homoafetivo na Rússia, promulgando lei que define formalmente a união de "homem e mulher"​


A notícia vem sendo divulgada aos poucos pelas mídias mainstream, mas a que chamou a atenção veio de um site internacional especializado em conteúdo LGBT, o Washington Blade.

Antes de tudo, para fins editoriais, há uma diferença clara entre união homoafetiva e o casamento. O casamento é uma instituição judaico-cristã, que nada tem relação com uniões homoafetivas, para deixar bem claro esse ponto e não temos nada contra o segundo. Cada macaco no seu galho, correto?

De qualquer forma, a notícia é que o presidente/imperador/ditador da Rússia, Vladimir Putin, assinou nessa segunda-feira uma série de leis e emendas constitucionais, dentre uma delas uma que define formalmente o casamento como uma união afetiva entre um homem e uma mulher.

Sites da velha mídia como o The Associate Press recentemente publicaram uma pesquisa, mostrando que 78%, ou seja, a bela maioria do povo russo, apoiava as medidas colocadas no referendo de julho do ano passado, onde foram aprovadas tais medidas. Os legisladores russos posteriormente aprovaram as emendas constitucionais, além de ter dado a permissão para que ele concorra como "presidente" por mais dois mandatos.

Mikhail 'Misha' Tumasov, um ativista LGBTQ russo e defensor dos direitos humanos, em um e-mail para a fonte originária observou que a lei que Putin assinou "enfatiza mudanças recentes na constituição" que incluem uma “fórmula adotada de uma família exclusivamente como uma união de um homem e uma mulher que não estava na constituição e dava esperança de introduzir casamentos do mesmo sexo nessa base legal."

O maior impedimento dessa questão na verdade se dá pelo cristianismo ortodoxo que marca presença no país desde a queda da União Soviética, sendo praticamente os grandes responsáveis pelo levante moral da sociedade russa após a falência do comunismo no país soviético, tendo assim, extrema influência. E a definição de casamento é clara, uma instituição religiosa, baseada em preceitos tradicionais e morais, que nada tem haver com a união homoafetiva propriamente dita.

E considerando esse fato, não acreditamos que a Rússia legalizará qualquer tipo de união homoafetiva em um futuro próximo.
"Não há necessidade de quaisquer outras ações legais, pois os casamentos do mesmo sexo são agora ilegais", disse o ativista Tumasov.

Em 2013, Putin provocou indignação global ao assinar uma lei que proíbe a promoção da chamada propaganda gay para crianças. "Indignação global" foi o termo usado pela fonte originária. Ou melhor: Putin proibiu qualquer tipo de lavagem cerebral, doutrinação LGBT ou ideologia de gênero para crianças. Basicamente é isso.

O ativista LGBT finalizou sua entrevista à fonte originária que as "questões mais problemáticas" com a lei que Putin assinou na segunda-feira incluem a opção de ele se candidatar à reeleição e "restrições" a "atividades educacionais, que impactarão brutalmente o trabalho de ONGs de direitos humanos e instituições acadêmicas.".

Ou seja: nada de doutrinação por meio da agenda da ideologia de gênero para crianças.


Gosta do Nosso Trabalho?
O POLITZ é uma mídia livre, independente e que não recebe qualquer dinheiro público ou político/partidário e é mantida apenas por propagandas e assinaturas dos(as) nossos(as) leitores. Se você gosta do nosso trabalho, considere nos ajudar, desabilitando bloqueadores de propaganda e fazendo uma assinatura de qualquer valor.

Clique aqui para ser direcionado ao nosso Apoia.se

Nota Legal: Nossas publicação são necessariamente baseadas em fontes originárias/primárias/secundárias e são sempre citadas com os devidos links para conferência e verificação à informação, em respeito à responsabilidade solidária na via de dupla checagem dos fatos pelo POLITZ e pelo(a) próprio(a) leitor(a). Repudiamos as chamadas fake news, falsas narrativas e manipulações via desinformação propagadas pelas mídias tradicionais, criando mecanismos duplos para o fact checking.
Opiniões são diferentes de fatos publicados e noticiados e podem não representar necessariamente o posicionamento do POLITZ na qual exerce e defende incondicionalmente o direito à liberdade de expressão, livre manifestação de pensamento, de posicionamento político e religioso (Constituição Federal de 1988, art. 5º, incisos IV, VI, IX, XIX. - Pacto de San José da Costa Rica. Decreto n. 678/1992. arts. 12 e 13. - Declaração Universal dos Direitos Humanos, arts. 18 e 19 e outras legislações nacionais ou internacionais aplicáveis, especialmente nas quais a República Federativa do Brasil é signatária).
Créditos sempre devidos para todos os(as) autores(as), incluindo imagens de capa e do corpo, ilustrações e outras. Em caso de erro, correção, sugestão, violação de direitos autorais, utilize o botão "Denunciar", o formulário de "Contato" ou deixe um comentário. Tais solicitações são tratadas com prioridade.
Fontes das Informações
  • Curtir
Reactions: jameswk9
Sobre o(a) Autor(a):
POLITZ
Esse é o Perfil Oficial usado pela Equipe de Redação do POLITZ para criar as nossas matérias. As reportagens assinadas individualmente possuem perfil próprio.

Como de costume, oferecemos a fonte originária de todas as informações publicadas no final de cada artigo, com exceção das fontes internas. Captamos diversas informações pelo exclusivo #AlgoritmoPOLITZ que tem um alcance mundial.

Se você gosta do nosso trabalho como mídia independente, considere nos apoiar financeiramente com qualquer valor. Lembre-se que nós não recebemos dinheiro de políticos ou empresas estatais e só funcionamos com contribuições de vocês.

Comentários

Não há comentários para mostrar.

Informações da Publicação

Autor(a)
POLITZ
Visual.
428
Última atualização

Compartilhar

Top Bottom