• Olá Visitante! Seja muito bem vindo(a)!

    O #FórumPOLITZ é uma Comunidade única, sendo a primeira rede social no estilo de Fórum criada para pessoas que tem sede de conhecimento, conteúdo, informação e que adora uma boa discussão. Prezamos pela liberdade de expressão, em uma rede totalmente segura, livre de censuras e perseguições ideológicas.

    Oferecemos recursos exclusivos, em uma plataforma construída no que há de mais moderno no mundo. Para aproveitar tudo isso, é preciso Criar um Perfil. É rápido, fácil e totalmente gratuito. Você pode usar até a sua conta no Twitter para fazer isso.

    Junte-se a nós, venha se informar e compartilhar o seu conhecimento com a comunidade que mais cresce no Brasil. Esperamos que goste :)

  • Você sabia?

    Para poder criar Tópicos, postar respostas e usar os recursos de rede social da nossa Comunidade é necessário Criar um Perfil gratuitamente. Você pode usar até uma conta do Twitter.

    Com seu Perfil você poderá participar de todas as discussões, se informar, criar seus próprios Tópicos e compartilhar o seu conhecimento.

    Não perca o seu tempo. Venha para a melhor comunidade brasileira da internet.

Tópico para auxiliar aqueles que desejam se converter à verdadeira religião - ou nela perseverar

Steve Forbes Nash

Grão-Mestre
Entrou
24/10/18
Posts
1.542
Reactions
2.515
Interessante a postura: Papa diz que divorciados podem voltar a comungar. Cardeal pede correção (Cardeal Burke).
O que se espera: Os fieis (leigos e ordenados) debatem se pode ou não pode receber a comunhão.
O que se ve: Essa reclamação foi protocolada em 2 vias, no canto esquerdo da pilha direita, segundo consta no canon 2129, parte direita, transversal sul do código canônico? Não? Então nem responde
 
D

|Druh|

Visitante
Engraçado é que nosso Senhor condenou justamente os formalismos exagerados do judeus.

Responder com argumentos genéricos é muito empobrecedor, cadê a resposta ponto a ponto, já que os 19 teológos leram as 297 paginas da Amoris Laetitia e falaram os pontos controversos, será que é impossível o mínimo de zelo?

E os senhores erraram, o documento não é um libelo acusatório, então levado oformalismo ao extremo o proprio texto do site seria errado.
Tudo bem, entendo que há pessoas que sentem necessidade de esclarecimentos de autoridade (creio que naturalmente virão, mas não necessariamente já); mas penso que esse tipo de documento acusador prejudica mais essas pessoas do que ajuda.

Enfim, meu último post sobre o assunto:

"Moreover I have a great deal of respect for some of the men who signed this letter, and I count a few of them as personal friends. So I am reluctant to dismiss their effort. Nevertheless I fear that this letter does more harm than good, compounding the problem that loyal Catholics now face."

"Who could make the authoritative judgment that the Pope had fallen into heresy and therefore lost his authority? Certainly not a handful of independent scholars."

"Peter Kwasniewski, one of the principal authors of the letter, now says that the document lists “instances of heresy that cannot be denied.” This, I’m afraid, is a demonstrably false statement. The “instances of heresy” mentioned in the letter have been denied, and repeatedly. The authors of the letter are convinced of their own arguments, but they have not convinced others. In fact they have not convinced me, and if they cannot persuade a sympathetic reader, they are very unlikely to convince a skeptical world."

"If Pope Francis has not answered the queries of the dubia cardinals, and of the dozens of other Catholics who have begged for clarification, he is certainly not going to respond to the Easter Letter. Instead his supporters have attacked the motivations of the Pope’s critics, charging them with infidelity and schism and arrogance and rash judgment. Those charges—aimed at suppressing discussion—are now much easier to sustain, because the authors of the Easter Letter have made themselves such tempting targets. It will be easier, now, to classify anyone who challenges the Pope as a member of the same group that is making charges of heresy. Consequently life will be more difficult for those of us who are not calling for the deposition of the Roman Pontiff, but simply for a clarification of Church teaching."

"Now, by asking bishops to do something that none of them is likely to do, the authors of the Easter Letter have given timid bishops one more excuse for their silence. Pleas for clarity can now conveniently be lumped together with charges of heresy, as evidence of “extremism.”

The authors of the Easter Letter compound the problem by combining some strong arguments with some very unpersuasive complaints. Their critique of Amoris Laetitia is fairly compelling; their suggestion that the Pope’s controversial appointments are evidence of heresy is ludicrous. The introduction of these lesser issues devalues the entire letter. Surely the authors know—or should know—that the defenders of Pope Francis will fasten on these trivial matters, exploiting them to argue that the letter should not be taken seriously. Thus the very structure of the Easter Letter betrays a lack of prudence, a failure to anticipate the likely consequences of this public statement."


https://www.catholicculture.org/commentary/otn.cfm
 
ÚIltima vez editado por um Moderador:
D

|Druh|

Visitante
We Must Explain Why Contraception is Wrong

Right now, we have a certain dichotomy in the Church regarding contraception. We know what the Church teaches. However, from surveys we see that many Catholics use contraception. and it is clear, but we also know that many Catholics, even those who attend weekly, use contraception.

This is a problem. First, we have the obvious problem of contraception being grave matter and thus mortal sin if done with knowledge and consent. This leads to unworthy Communions. However, this also leads to a certain cynicism toward other Catholic moral teachings.

Recently, I’ve been reading Catholics and Contraception: An American History by Leslie Woodcock Tentler. It’s a history of how the U.S. Church lost the laity regarding contraception. Most of the book covers before the open rebellion of the 1960s. It quotes extensive material from the time on contraception: from mission sermons, to pastoral letters, to priests’ magazines.

It is shocking how often these simply argue from authority based on the word of a pope, or point to accidental dangers without ever explaining the core of why it is wrong. To certain segments of the population, this might work, but this lack of explanation will eventually lose part of the population.

Frs. John Connell and John P. McCormick had a column American Ecclesiastical Review answering questions. This was clearly a priests’ magazine with ads for clerical clothes. They supported Catholic teaching on contraception.

In the November 1964 edition, they took up the question of what to do if a penitent refuses to accept Church teaching on contraception. They respond, “If a Catholic, even though sincerely, comes to this judgement, knowing it is contrary to the teaching of the Church, he cannot be admitted to the sacraments.”

I would think that priest-readers would love to have arguments to convince penitents who were doubtful. However, all they offer is that Pius XII and Pius XI both say contraception is wrong. I’m thinking a priest who knew why would be much more likely to bring a penitent back to Church teaching
.

This simple call to obey what the popes have said, leads to a certain nominalism. True morality is based on it being right for the moral actor (you or I). Both virtue ethics and natural law – two classic systems of Catholic thought – are based on this.

On a practical level, as the general population has become more educated, they ask more questions about the faith and are less satisfied with rote citations of the Church saying things without further explanation. They want to know why.

I want to summarize three arguments that contraception is wrong: all are paraphrased from Humanae Vitae: A Generation Later by Janet Smith.

We know that the body speaks a language. In sex, it speaks a language of gift, of self-giving. This is objective, not just subjective language. Willing entering sexual intercourse objectively represents the mutual, total self-giving love of the spouses. In marriage, each spouse promises such mutual self-giving to the other. As the sexual language is the marital language, lying about it or destroying it, would interfere with marriage and thus be immoral. Contraception, instead, says that this person is taking back self-giving to just use the other for pleasure. Contraception destroys the marital language of mutual self-giving. Such a destruction of the language of marriage is immoral.

There is something unique about human life. We are biological like other animals, but God only infuses a soul into us through a special act of creation. Procreative acts, by their nature assist God in this special creation where he creates a new human soul. It is a unique moment of God’s creation. As this is an act of God, it is immoral to interfere with it: we cannot morally impede God’s action. However, contraception impedes this special act of creation. Blocking this special act is immoral.

Finally, there is a certain immorality with fully impeding with the natural purposes of organs or acts. Partial impediment – like how drinking a Diet Coke interferes with digestion – is different. However, there is a difference between partial and full interference. It would be immoral to consume nothing but diet coke and sugar-free gum – that would completely block our digestion, and could also be called self-starvation. Likewise, I can temporarily blindfold my eyes, but permanently blocking my eyes from seeing would be immoral. The purpose of sexual system and act is twofold: to produce children and unite the couple in love. While other biological systems act in a kind of continuous manner, the sexual system acts in a punctual manner, thus blocking once is a complete blocking of the system. It is hard to describe a single act of digestion but we can all recognize a single sexual act. Even systems that seem more punctual like breathing have a certain continuity: breathing gets oxygen to our lungs and even though we often think of it breath by breath, this system runs in such a way that a healthy person can hold their breath for 20 seconds without any blockage of oxygen delivery. Obviously, there are limits where holding your breath causes muscle or brain damage, and is thus immoral. As the sexual act has a certain punctuality, blocking it through contraception, even for one act, is immoral.

http://www.ncregister.com/blog/frmatthew/we-must-explain-why-contraception-is-wrong
 
OP
Ulrich

Ulrich

Experiente
Entrou
22/10/18
Posts
429
Reactions
1.732
  • Autor do Tópico
  • Thread Starter
  • #705
Maio é o mês tradicionalmente dedicado à Virgem











Ainda que humana por natureza, superior a todos os anjos e à toda criação pela graça de Deus. Escolhida pelo próprio Deus desde toda eternidade para dar à luz a Segunda Pessoa da Trindade. Mãe de Deus, como diz toda tradição desde o início do cristianismo. Assim como dizemos que nas nossas veias corre o sangue dos nossos pais, assim podemos dizer que o sangue que correu nas veias de Nosso Senhor e que foi derramado na cruz, foi a sangue de Nossa Senhora.​
 
Última vez editado:
OP
Ulrich

Ulrich

Experiente
Entrou
22/10/18
Posts
429
Reactions
1.732
  • Autor do Tópico
  • Thread Starter
  • #706
Explica St. Tomás o título tradicional de Mãe de Deus:

"Aqui se mostra sua dignidade, porque não foi dado a criatura alguma, a nenhum homem, a nenhum anjo, ser o pai ou mãe de Deus. Mas este foi um privilégio de uma graça singular, que ela se tornasse mãe não apenas de um homem, mas de Deus. E assim está dito no livro do Apocalipse (XII,1): 'Uma mulher vestida de Sol,' isto é, como se repleta de divindade. Nestório negou isso [isto é, que Maria possa ser chamada de Mãe de Deus], porque a divindade [de Cristo] não foi dada pela Virgem. Contra isso St. Inácio Mártir usa um belo exemplo para mostrar que ela é a mãe de Deus. 'É evidente,' ele diz, 'que na geração humana a mulher [que gera] é chamada de mãe [do indivíduo que gera]; no entanto, a mãe não dá a alma racional [ao ser humano que ela gera], que advém de Deus, mas ela dá a substância para a formação do corpo. Ora, mesmo assim uma mãe é chamada de mãe do homem [gerado] como um todo, porque aquilo que foi tirado dela é unido à alma racional, de modo similar, como a humanidade de Cristo advém da Bem Aventurada Virgem, então por conta da união [da humanidade de Cristo] com a divindade, a Bem Aventurada Virgem não é chamada apenas mãe de um homem, mas de Deus; ainda que a divindade não tenha sido recebida dela, exatamente como [na geração de qualquer ser humano] a alma racional não é recebida pela mãe[, mas ela ainda assim é chamada verdadeiramente de mãe do ser que ela gera]'."
 
Última vez editado:
D

|Druh|

Visitante
Expliquem-me este trecho

O olhar de Cristo, cuja luz ilumina todo o homem (cf. Jo 1, 9; Gaudium et spes, 22), inspira o cuidado pastoral da Igreja pelos fiéis que simples-mente vivem juntos, que contraíram matrimónio apenas civil ou são divorciados que voltaram a casar. Na perspectiva da pedagogia divina, a Igre-ja olha com amor para aqueles que participam de modo imperfeito na vida dela: com eles, invoca a graça da conversão; encoraja-os a fazerem o bem, a cuidarem com amor um do outro e colo-carem-se ao serviço da comunidade onde vivem e trabalham. (...) Quando a união alcança uma es-tabilidade notável por meio dum vínculo público – e se reveste de afecto profundo, responsabili-dade pela prole, capacidade de superar as prova-ções –, pode ser vista como uma oportunidade a encaminhar para o sacramento do matrimónio, sempre que este seja possível

Perante situações difíceis e famílias feri-das, é preciso lembrar sempre um princípio geral: “Saibam os pastores que, por amor à verdade, es-tão obrigados a discernir bem as situações” (Fa-miliaris consortio, 84). O grau de responsabilidade não é igual em todos os casos, e podem existir factores que limitem a capacidade de decisão. Por isso, ao mesmo tempo que se exprime com clareza a doutrina, há que evitar juízos que não tenham em conta a complexidade das diferen-tes situações, e é preciso estar atentos ao modo como as pessoas vivem e sofrem por causa da sua condição ».79


Caso eu fosse um Bispo progressista, veria como o argumento perfeito para aceitar o divorcio como legitimo, bastando que os nubentes me apresentassem um "bom motivo". Obviamente, como não existe definição legal para tanto, eu decidiria isso, em situações tais como violência verbal, pressão simbólica e afins.
Uma "hermenêutica da descontinuidade" - digamos assim - é impossível de ser feito na ortodoxia.

Bem, resumindo a Ópera, vejo muita especulação e elas podem estar completamente erradas - além de não serem edificantes. Como existem pessoas fazendo isso, entrando na cabeça do Papa para tentar ver com as lentes dele, vou tentar fazer esse exercício e dizer coisas que ele não disse: acho, não sei, que ele quer mudar ou mesmo retirar a forma canônica do matrimônio. Se isso for o caso e se ele tiver coragem para continuar, então a "guerra" estaria só começando - e o próximo pontificado independente de quem for poderia ser ainda mais polêmico.

Suposta evidência:

 

Steve Forbes Nash

Grão-Mestre
Entrou
24/10/18
Posts
1.542
Reactions
2.515
Uma "hermenêutica da descontinuidade" - digamos assim - é impossível de ser feito na ortodoxia.

Bem, resumindo a Ópera, vejo muita especulação e elas podem estar completamente erradas - além de não serem edificantes. Como existem pessoas fazendo isso, entrando na cabeça do Papa para tentar ver com as lentes dele, vou tentar fazer esse exercício e dizer coisas que ele não disse: acho, não sei, que ele quer mudar ou mesmo retirar a forma canônica do matrimônio. Se isso for o caso e se ele tiver coragem para continuar, então a "guerra" estaria só começando - e o próximo pontificado independente de quem for poderia ser ainda mais polêmico.

Suposta evidência:

Deus há de intervir! Superamos o arianismo. Sempre lembro das palavras do Mestre: No mundo haverão tribulações, mas coragem, eu venci o mundo!
 
D

|Druh|

Visitante
Deus há de intervir! Superamos o arianismo. Sempre lembro das palavras do Mestre: No mundo haverão tribulações, mas coragem, eu venci o mundo!
É que basicamente o que ele diz é que nos tempos atuais há muitas pessoas que se 'casam' na igreja mas não são casamentos de verdade, são casamentos inválidos ou nulos.

Enquanto isso, há casais que vivem em coabitação mas que não se casaram na igreja (no templo) e que poderiam sim ser um casamento de verdade, mas não são pq é preciso atender a forma canônica estabelecida no Concílio de Trento, grosso-modo.

Então, na Amoris ele estaria dizendo que cada caso é um caso, deve existir um acompanhamento de cada caso.

Por exemplo, existem casais que já não têm vida sexual no relacionamento, então em tese é possível que mesmo casais de segunda união possam receber a comunhão talvez. Mas isso não é bem a questão em si, o objetivo é integrar na Igreja, no catolicismo, não excluí-los. Enfim, cada caso é um caso, Amoris ressalta o acompanhamento e discernimento.

Trata-se de adequar-se à realidade.

Como dito, especulando aqui, acho que ele vê a forma canônica tridentina do matrimônio como caduca para os tempos atuais e que ela talvez esteja até mesmo contribuindo para criar esta distorção. Mas isso é só uma especulação, creio que ele havia falado que por enquanto não existe mudança nisso.
 
ÚIltima vez editado por um Moderador:

Aulef

Grão-Mestre
Entrou
16/10/18
Posts
1.306
Reactions
1.315
É que basicamente o que ele diz é que nos tempos atuais há muitas pessoas que se 'casam' na igreja mas não são casamentos de verdade, são casamentos inválidos ou nulos.

Enquanto isso, há casais que vivem em coabitação mas que não se casaram na igreja (no templo) e que poderiam sim ser um casamento de verdade, mas não são pq é preciso atender a forma canônica estabelecida no Concílio de Trento, grosso-modo.

Então, na Amoris ele estaria dizendo que cada caso é um caso, deve existir um acompanhamento de cada caso.

Por exemplo, existem casais que já não têm vida sexual no relacionamento, então em tese é possível que mesmo casais de segunda união possam receber a comunhão talvez. Mas isso não é bem a questão em si, o objetivo é integrar na Igreja, no catolicismo, não excluí-los. Enfim, cada caso é um caso, Amoris ressalta o acompanhamento e discernimento.

Trata-se de adequar-se à realidade.

Como dito, especulando aqui, acho que ele vê a forma canônica tridentina do matrimônio como caduca para os tempos atuais e que ela talvez esteja até mesmo contribuindo para criar esta distorção. Mas isso é só uma especulação, creio que ele havia falado que por enquanto não existe mudança nisso.

As verdades ditas por Cristo e transmitidas pela Igreja Católica são universais e imutáveis. Papa nenhum pode tentar adequar a Igreja ao mundo ao mesmo tempo em que contraria quaisquer dessas verdades.

Sempre deve ser o mundo adequado à Igreja. E é isso que ela tem feito nos últimos quase dois mil anos.

O Papa Francisco, em particular, tem um tom pastoral. O que ele ensina deve ser ouvido pelos fiéis. Entretanto, os fiéis devem saber que alguns ensinamentos e ações de qualquer papa estão sujeitos a erro, e outros não. E, sabendo que há esses diferentes graus de ensinamento, também saiba que existem diferentes graus de assentimento/aceitação desses ensinamentos.
 

Aulef

Grão-Mestre
Entrou
16/10/18
Posts
1.306
Reactions
1.315
Aos interessados a entrar na Santa Igreja, lembrem-se que a Religião Católica tem como principais objetivos prestar o culto devido a Deus e salvar as almas das pessoas.

A porta está aberta a todos que desejam ardentemente conhecer, amar e servir a Deus!
 

Steve Forbes Nash

Grão-Mestre
Entrou
24/10/18
Posts
1.542
Reactions
2.515
Aos interessados a entrar na Santa Igreja, lembrem-se que a Religião Católica tem como principais objetivos prestar o culto devido a Deus e salvar as almas das pessoas.

A porta está aberta a todos que desejam ardentemente conhecer, amar e servir a Deus!
Por isso tenho procurado me inteirar mais com a vida da paróquia por aqui do que com coisas do Papa. Não vejo por aqui preocupação em ter 2º casamento por aqui, por exemplo. O povo de Deus ainda mantém firme a tradição católica, graças a Deus.
 
D

|Druh|

Visitante
As verdades ditas por Cristo e transmitidas pela Igreja Católica são universais e imutáveis. Papa nenhum pode tentar adequar a Igreja ao mundo ao mesmo tempo em que contraria quaisquer dessas verdades.

Sempre deve ser o mundo adequado à Igreja. E é isso que ela tem feito nos últimos quase dois mil anos.

O Papa Francisco, em particular, tem um tom pastoral. O que ele ensina deve ser ouvido pelos fiéis. Entretanto, os fiéis devem saber que alguns ensinamentos e ações de qualquer papa estão sujeitos a erro, e outros não. E, sabendo que há esses diferentes graus de ensinamento, também saiba que existem diferentes graus de assentimento/aceitação desses ensinamentos.
Ele não altera doutrina nenhuma, é perfeitamente ortodoxo e em continuidade com S. JPII, Bento XVI, etc.

"Adequar-se" entenda como ser "realista", compreender a realidade (não é aceitar as mentiras do mundo). Caso contrário, a Igreja iria ser um lugar para lunáticos (que vivem no mundo da Lua). Nosso Senhor Jesus Cristo justamente partia para situações concretas, reais.

E digo mais, o Papa é anti-ideológico, anti-moderno, uma verdadeira benção divina. E digo ainda mais, a oposição que ele sofre (creio que de origem demoníaca) é conivente para a santificação dele próprio; é um sinal de contradição: "Eu vim para trazer fogo sobre a terra e como gostaria que já estivesse em chamas!" (S. Lc 12, 49).

 
ÚIltima vez editado por um Moderador:
D

|Druh|

Visitante
Por isso tenho procurado me inteirar mais com a vida da paróquia por aqui do que com coisas do Papa. Não vejo por aqui preocupação em ter 2º casamento por aqui, por exemplo. O povo de Deus ainda mantém firme a tradição católica, graças a Deus.
Não é bem "coisas do Papa", são coisas que existem em tudo que é lugar e se o Papa está falando dessas coisas é pq são bem reais.

 
ÚIltima vez editado por um Moderador:

Steve Forbes Nash

Grão-Mestre
Entrou
24/10/18
Posts
1.542
Reactions
2.515
Não é bem "coisas do Papa", são coisas que existem em tudo que é lugar e se o Papa está falando dessas coisas é pq são bem reais.

Digo as discussões, quem tá certo, quem tá errado....

O Papa é o Papa, espero que ele esteja certo mesmo, mas minha preocupação já não é mais saber isso.
 

Steve Forbes Nash

Grão-Mestre
Entrou
24/10/18
Posts
1.542
Reactions
2.515
Ao amigos que interpretam o Papa Francisco como anti-modernista, queria ter uma outra visão sobre dois pontos

1. Educação Sexual


2. Acordo assinado com os lideres muçulmanos


Acompanho de perto as noticias da Igreja, sei de pessoas que já foram do clero BR e sabemos bem o que pensam, e que hoje são muito próximos do Papa, como D. Cláudio Hummes (dispensa comentários) e o próprio D. Montanari.

Além disso, o tal St. Gallen Group é próximo do D. Carlo Maria Marini, que todos sabemos que não foi nem em sonho um homem anti-modernista.

Pelo que se diz, no conclave de 2006, o então Cardeal Bergoglio era grande favorito, por intercessão pessoal dos Cardeais Walter Kasper e Godfried Danneels e quem sabe como essas pessoas eram, sabe que eram ultra-modernistas, lembro bem de declarações como ser gay é de nascença, e que Lutero faz parte da grande tradição da Igreja.

Eu juro que sempre tento seguir as palavras de São Francisco de Salles, mas acho que não podemos ser tolos, Papa Francisco anti-modernista é tão invisivel quanto o tecido da roupa nova do rei.... O REI ESTÁ NU!!!
 
Última vez editado:
D

|Druh|

Visitante
Ao amigos que interpretam o Papa Francisco como anti-modernista, queria ter uma outra visão sobre dois pontos

1. Educação Sexual

Ele propôs uma educação... católica, correta, ortodoxa, oras. É difícil e improvável uma educação correta no Ocidente atualmente? É... mas sendo Papa, ele afirma que é preciso. Se conseguiram transformar isso numa luta entre esquerda vs direita, mostra como esse barulho provém do demônio - estão nem escutando o que o Papa está falando mais, só ouvem a voz do Capeta.

A realidade é que vivemos numa sociedade hiperssexualizada, é quase impossível jovens e adolescentes não serem bombardeados, uma educação de verdade se faz benéfica.

"Penso que, nas escolas, é preciso dar educação sexual. O sexo é um dom de Deus, não é um monstro; é o dom de Deus para amar. Questão diferente é que alguém o use para ganhar dinheiro, para explorar os outros… É preciso oferecer uma educação sexual objetiva: assim como é, sem colonizações ideológicas. Porque se, nas escolas, se dá uma educação sexual imbuída de colonizações ideológicas, destrói-se a pessoa. O sexo como dom de Deus precisa de ser educado, não com rigidez: o termo «educar» deriva de e-ducere, ou seja, extrair da pessoa o melhor e acompanhá-la no caminho. O problema está nos responsáveis pela educação, a nível nacional, regional, em cada unidade escolar: que professores escolhem para isso? Que manuais? Já os vi de todas as cores. Há coisas que fazem amadurecer e outras que causam dano. Não sei se é objetiva ou não a afirmação de que não há educação sexual no Panamá… Sem entrar no problema político do Panamá, digo que é preciso haver educação sexual para as crianças. O ideal é que se comece em casa, com os pais. Nem sempre é possível, devido a muitas situações familiares, ou porque não sabem como a fazer. A escola supre isto e deve fazê-lo; caso contrário, fica um vazio que acaba preenchido por qualquer ideologia."

 
ÚIltima vez editado por um Moderador:

Steve Forbes Nash

Grão-Mestre
Entrou
24/10/18
Posts
1.542
Reactions
2.515
Vejo que esse tipo de fala é muito desencontrada, educação sexual católica sempre me pareceu um disparate, até porque não faz sentido algum existir.

De qualquer forma, acho que os Papas de daqui para frente serão todos muito mais parecidos com Francisco que com os anteriores. Conheço alguns bispos, ditos conservadores dentro do clero BR, e lá fora são vistos como moderados (assim como o Papa Francisco é visto como ultra-conservador na Argentina e moderado no resto do mundo, o mesmo valendo para Dom Odilo e Dom Orani) e todos tem pontos de vista muito proximos ao atual, da dita Igreja conciliar.

Diz-se por ai que a Igreja volta as suas tradições no clero mais jovem, o que eu também tenho visto, sempre que posso ir a missa no rito extraordinario vejo muitos jovens.

Acho que os exageros dos Papas conciliares, cujo ápice foi Paulo VI (que hoje é São Paulo VI), serão atenuados, como já vêm sendo. Nos anos 80 os folhetos da via sacra da CNBB eram absurdamente comunistas, hoje são só modernistas com algum toque de socialista.

Papa Francisco é um bom exemplo de bispo conciliar, perceba que na época do Bento XVI não havia tanta discussão sobre coisas mundanas na Igreja, como sinodo da Amazonia e o cardeal pró-LGBT, como educação sexual, como o Papa não deixar beijar o anel. O maior trunfo dele foi liturgico, permitindo as missas tridentinas. O Papa mais ativo do ponto de vista político foi São João Paulo II, esse sim com papel bastante claro, só que totalmente diferente do Francisco, a ver caso da guerra Chile x Arg, queda do comunismo polonês, aproximação com governo de Ronald Reagan.
 

Steve Forbes Nash

Grão-Mestre
Entrou
24/10/18
Posts
1.542
Reactions
2.515
Quanto à Santificação do Papa, eu não tenho dúvida. Já perceberam que todos os Papas concilares viraram Santos? São Paulo VI, São João XXXIII, São João Paulo II.

Tenho cá minhas dúvidas se farão o mesmo como o mais moderado Bento XVI. Apesar de vê-lo como um Santo Tomás de Aquino da nossa era, com toda certeza um Doutor da Igreja. Ao menos acho "introdução ao cristianismo" e a trilogia sobre Jesus indispensáveis e muito fáceis de ler.
 
D

|Druh|

Visitante
Vejo que esse tipo de fala é muito desencontrada, educação sexual católica sempre me pareceu um disparate, até porque não faz sentido algum existir.
É que tipo, qnd a pessoa fala em educar o homem, ela precisa ter uma "concepção" do homem, digamos assim - e para nós é vital que seja correta, cristã/católica:

https://w2.vatican.va/content/pius-xi/pt/encyclicals/documents/hf_p-xi_enc_31121929_divini-illius-magistri.html

"É portanto da máxima importância não errar na educação, como não errar na direção para o fim ultimo com o qual está conexa intima e necessariamente toda a obra da educação. Na verdade, consistindo a educação essencialmente na formação do homem como ele deve ser e portar-se, nesta vida terrena, em ordem a alcançar o fim sublime para que foi criado, é claro que, assim como não se pode dar verdadeira educação sem que esta seja ordenada para o fim ultimo, assim na ordem actual da Providencia, isto é, depois que Deus se nos revelou no Seu Filho Unigênito que é o único « caminho, verdade e vida », não pode dar-se educação adequada e perfeita senão a cristã. Daqui ressalta, com evidencia, a importância suprema da educação cristã, não só para cada um dos indivíduos, mas também para as famílias e para toda a sociedade humana, visto que a perfeição desta, resulta necessariamente da perfeição dos elementos que a compõem."

"Mormente perigoso é portanto aquele naturalismo que, em nossos tempos, invade o campo da educação em matéria delicadíssima como é a honestidade dos costumes. Assaz difuso é o erro dos que, com pretensões perigosas e más palavras, promovem a pretendida educação sexual, julgando erradamente poderem precaver os jovens contra os perigos da sensualidade, com meios puramente naturais, tais como uma temerária iniciação e instrução preventiva, indistintamente para todos, e até publicamente, e pior ainda, expondo-os por algum tempo às ocasiões para os acostumar, como dizem, e quase fortalecer-lhes o espírito contra aqueles perigos."


http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/ccatheduc/documents/rc_con_ccatheduc_doc_19831101_sexual-education_po.html

"O silêncio nunca pode ser uma regra válida de comportamento nesta matéria, sobretudo quando se pensa nos numerosos «persuasores ocultos» que usam uma linguagem insinuante. O seu influxo é inegável: cabe, portanto, aos pais vigiar não somente para consertar os danos provocados por intervenções inoportunas e nocivas, mas sobretudo para prevenir oportunamente os seus filhos oferecendo-lhes uma educação positiva e convincente.

A defesa dos direitos fundamentais da criança e do adolescente para o desenvolvimento harmónico e completo da personalidade conforme à dignidade de filhos de Deus, cabe em primeiro lugar aos pais. O amadurecimento pessoal exige, de facto, uma continuidade no processo educativo tutelado pelo amor e pela confiança, próprias do ambiente familiar. No cumprimento da sua missão a Igreja tem o dever e o direito, de cuidar da educação moral dos baptizados. A intervenção da escola em toda a educação e particularmente nesta matéria tão delicada deve ser realizada de acordo com a família."
 
ÚIltima vez editado por um Moderador:
Entrou
12/11/18
Posts
6.858
Reactions
8.024
Eu estava revendo aqui o lance de que partículas virtuais aparecem e desaparecem sem explicação, portanto uma violação da causalidade.

Só que quando fui checar em um livro-texto de física do John Townsend, descobri que essas partículas nem sequer existem, mas são somente artifícios matemáticos usados nos diagramas de feynman :icon-lolsuper:

"However: the electron that is traveling between X1
and X2 is a "virtual electron" and not a real one to the extent that this electron, which is
represented by an internal line in the diagram, is not one of the particles that is actually
measured and observed in the initial or final state.
" - página 320

O mais impressionante é que já vi esse assunto ser discutido em debates de "alto nível" sobre a existência de Deus, várias pessoas citando livros de divulgação científica, mas o negócio mesmo não tem nenhuma relação com o que a galera fala :icon-lolsuper:
 

Crystal

Principiante
Entrou
16/10/18
Posts
26
Reactions
33
Ainda gostaria de entender essa conivência com a religião que mais prega nossa destruição, reconciliação? Aproximação?
A única aproximação que esses seguidores de alá querem de nós e para se explodirem conosco.
 

Steve Forbes Nash

Grão-Mestre
Entrou
24/10/18
Posts
1.542
Reactions
2.515
É que tipo, qnd a pessoa fala em educar o homem, ela precisa ter uma "concepção" do homem, digamos assim - e para nós é vital que seja correta, cristã/católica:

https://w2.vatican.va/content/pius-xi/pt/encyclicals/documents/hf_p-xi_enc_31121929_divini-illius-magistri.html

"É portanto da máxima importância não errar na educação, como não errar na direção para o fim ultimo com o qual está conexa intima e necessariamente toda a obra da educação. Na verdade, consistindo a educação essencialmente na formação do homem como ele deve ser e portar-se, nesta vida terrena, em ordem a alcançar o fim sublime para que foi criado, é claro que, assim como não se pode dar verdadeira educação sem que esta seja ordenada para o fim ultimo, assim na ordem actual da Providencia, isto é, depois que Deus se nos revelou no Seu Filho Unigênito que é o único « caminho, verdade e vida », não pode dar-se educação adequada e perfeita senão a cristã. Daqui ressalta, com evidencia, a importância suprema da educação cristã, não só para cada um dos indivíduos, mas também para as famílias e para toda a sociedade humana, visto que a perfeição desta, resulta necessariamente da perfeição dos elementos que a compõem."

"Mormente perigoso é portanto aquele naturalismo que, em nossos tempos, invade o campo da educação em matéria delicadíssima como é a honestidade dos costumes. Assaz difuso é o erro dos que, com pretensões perigosas e más palavras, promovem a pretendida educação sexual, julgando erradamente poderem precaver os jovens contra os perigos da sensualidade, com meios puramente naturais, tais como uma temerária iniciação e instrução preventiva, indistintamente para todos, e até publicamente, e pior ainda, expondo-os por algum tempo às ocasiões para os acostumar, como dizem, e quase fortalecer-lhes o espírito contra aqueles perigos."


http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/ccatheduc/documents/rc_con_ccatheduc_doc_19831101_sexual-education_po.html

"O silêncio nunca pode ser uma regra válida de comportamento nesta matéria, sobretudo quando se pensa nos numerosos «persuasores ocultos» que usam uma linguagem insinuante. O seu influxo é inegável: cabe, portanto, aos pais vigiar não somente para consertar os danos provocados por intervenções inoportunas e nocivas, mas sobretudo para prevenir oportunamente os seus filhos oferecendo-lhes uma educação positiva e convincente.

A defesa dos direitos fundamentais da criança e do adolescente para o desenvolvimento harmónico e completo da personalidade conforme à dignidade de filhos de Deus, cabe em primeiro lugar aos pais. O amadurecimento pessoal exige, de facto, uma continuidade no processo educativo tutelado pelo amor e pela confiança, próprias do ambiente familiar. No cumprimento da sua missão a Igreja tem o dever e o direito, de cuidar da educação moral dos baptizados. A intervenção da escola em toda a educação e particularmente nesta matéria tão delicada deve ser realizada de acordo com a família."

Entendo, mas sinceramente, meus filhos não terão este tipo de Educação. Minha convicção pessoal é a mesma do 1º texto, esse tipo de coisa só instiga.
Quanto ao 2º , não concordo, pois parte do pressuposto que devemos ter uma educação centralizada, e eu creio que educação é ato pessoal.

Sou contra apresentar o sexo para crianças, isso será mostrado pela vida, as pessoas deviam ser incentivadas a se casar mais cedo, mas isso vai contra os ideiais do Papa que acha que as pessoas só podem se casar validamente se tiverem uma vontade total do casamento, o que nunca ocorrerá, todos teriam que se casar proximo a morte.
 
Última vez editado:
D

|Druh|

Visitante
Entendo, mas sinceramente, meus filhos não terão este tipo de Educação. Minha convicção pessoal é a mesma do 1º texto, esse tipo de coisa só instiga.
Quanto ao 2º , não concordo, pois parte do pressuposto que devemos ter uma educação centralizada, e eu creio que educação é ato pessoal.

Sou contra apresentar o sexo para crianças, isso será mostrado pela vida, as pessoas deviam ser incentivadas a se casar mais cedo, mas isso vai contra os ideiais do Papa que acha que as pessoas só podem se casar validamente se tiverem uma vontade total do casamento, o que nunca ocorrerá, todos teriam que se casar proximo a morte.
Vc é casado? Creio que não precisa ficar preocupado com isso. Os matrimônios são válidos até que provem o contrário (é preciso abrir processos em cada caso, e cada caso é um caso).

Quanto a educação sexual, pessoalmente acho que vale apena apresentar a visão cristã no tempo certo para a pessoa, dizer que o sexo é algo muito sagrado, é um ato de co-criação com Deus, que contraceptivos portanto são uma ofensa direta contra o Criador e um atentado contra a dignidade da pessoa pois impedem a ação livre e amorosa divina, que fora do casamento é um ato falso e mentiroso e egoísta, é algo sério, etc, etc. E isso justamente serve para incentivar a casar cedo e ter filhos, de forma responsável (seria justamente a falta dessa visão que contribui para pessoas perderem a noção de matrimônio). Até pq, como vivemos numa sociedade hiperssexualizada, hora ou outra visões anti-cristãs se impõe para os jovens em muitos lugares, é melhor remediar e oferecer a visão correta.
 
ÚIltima vez editado por um Moderador:
Top Bottom