#BatePapo Alistamento militar - o que acontece se o jovem recusar ficar pelado no exame médico ?

budailuminado

Iluminado
Entrou
16/3/21
Posts
199
Reactions
79
Sei que nem todo mundo chega nessa fase, mas muita gente que é dispensada chega na fase do exame médico, onde pedem para ficar pelado

Nem todo mundo se sente confortavel para ficar pelado na frente dos outros, ainda mais por um motivo besta como precisar se alistar.

De milhares e milhares de jovens, milhoes na verdade, devem ter aqueles que se recusam a ficar pelados. Nesse caso, o que os medicos fazem ?
 

SocialistaDoBem

Grão-Guru
True Gamer
Entrou
22/6/19
Posts
11.267
Reactions
9.824
 

SocialistaDoBem

Grão-Guru
True Gamer
Entrou
22/6/19
Posts
11.267
Reactions
9.824
Eu fiz questão de ficar pelado para me mostrar. E tbm me fiz ser notado para que minhas vantagens não passassem despercebidas por aqueles reles mortais.

Foi um grande dia!
 

JusticeiroAlem

Guru
True Gamer
Entrou
15/10/18
Posts
7.510
Reactions
6.601
Peraí! Não ficar confortável em um alistamento Militar?
Ali é uma prova justamente para passar por situações desconfortáveis.
 

Rei do Rock

Grão-Mestre
Entrou
14/12/19
Posts
2.303
Reactions
1.058
Quando eu me alistei, quem era dispensado não passava por nenhum exame, só mediam a altura, não sei nem se tinha exame médico, e se tinha, era só para quem era chamado para servir
Nem imagino o que acontece, mas esse papo de ser preso e outras penalidades é conversa
 

Mestre Ancião

Grão-Mestre
True Gamer
Entrou
3/10/20
Posts
1.366
Reactions
2.373
Hoje em dia a coisa está tão difícil que tem muito mais gente querendo entrar do que vagas. Quem não quiser servir é só dizer que não quer, já quem quiser servir a maior chance é de não conseguir a não ser que tenha alguém lá dentro que tenha patente e que ajude.

Exame mesmo só fazem em quem vai servir, o resto é dispensado só com papelada.

Tem notícias de que em muitos lugares tiveram que reduzir o horário dos recrutas para meio período porque o exército não estava conseguindo dar almoço.

 
Última vez editado:

SocialistaDoBem

Grão-Guru
True Gamer
Entrou
22/6/19
Posts
11.267
Reactions
9.824
Tu é o roludão então :icon-lol:
Passei vergonha. Acreditei no que minha namoradinha esquerdista falava. Não tinha internet para eu saber a realidade. Até hoje o pessoal da cidade me zoa pelo que viram. No mesmo dia que eu (fomos para uma cidade 'principal' da região) foram todos os caras da minha cidade tbm. O exército marcou todos da minha cidade que chegaram nesta fase juntos.

Mas aqui com o pessoal, vamos manter esta fama. Sofrer no mundo real e no mundo virtual é demais, não acha não? Deixa aqui ser o sonho. kkkk
 

CAVERNOSO

Novato
Usa AdBlocker :(
Entrou
19/3/21
Posts
129
Reactions
220
Hoje em dia a coisa está tão difícil que tem muito mais gente querendo entrar do que vagas. Quem não quiser servir é só dizer que não quer, já quem quiser servir a maior chance é de não conseguir a não ser que tenha alguém lá dentro que tenha patente e que ajude.

Exame mesmo só fazem em quem vai servir, o resto é dispensado só com papelada.

Tem notícias de que em muitos lugares tiveram que reduzir o horário dos recrutas para meio período porque o exército não estava conseguindo dar almoço.
Exato.

Na verdade, isso começou a acontecer uns 6-7 anos atrás, acho que no final do primeiro mandado da Dilmanta, quando ela fez um corte ****** nas forças armadas: já tinha nego quebrado querendo servir o exército não "pela farda", mas pra ter a refeição. Hoje isso tornou-se público em vários lugares - e mostra o nível de miserê que chegamos.

Na minha época (1998), quando fui fazer o alistamento, a parada foi igual na época do meu velho (1968), ou seja, tinha que todo mundo ir lá, torrar um dia inteiro, entrar em várias filas, abaixar a calça, mostrar o ***** pra todo mundo e ainda fazer teste de força (no caso, era um aparelho no qual você pisava e tinha que puxar um peso, parecido com o de academia. E o médico do lado "nem adianta vir com fraqueza, quem puxar menos de X quilos eu vou pegar! Fulano, puxa essa ***** agora!". Depois tu ia pra entrevista, falava onde estudava, o que fazia da vida etc. "Fazer faculdade" não bastava. Só era "automaticamente dispensado" quem era estudante de medicina (porque era o vestibular mais difícil de todos) - o restante, todos tinham chance real de serem pegos (e muitos eram: um amigo meu que passou em administração noturno foi pego, bem como um outro que tinha passado pra engenheira química...). Se você trabalhava e estudava, ou fazia curso integral, tinha que se virar. No final do processo, ainda tinha que voltar e fazer juramento a bandeira.

Na real, não tinha absolutamente nenhum espaço pra choro nem mimimi. Todo mundo calava a boca pro negócio terminar o mais rápido possível.

Mas se na minha época o país já tava na *****, imagine hoje, com esses anos e anos de esquerda nutella no poder... Isso sem falar que o exército tá mais quebrado do que nunca, não tem grana nem pra pagar rango pra cabo. Fico imaginando os garotos nutella, especialmente aqueles mais gayzinhos e com dinheiro, indo numa parada dessas de antigamente. Iriam chorar no Facebook.

De resto, achar que vai seguir carrera militar pelo tiro de guerra é uma das maiores ignorâncias que um homem jovem pode ter. Se quer realmente virar milico, tem que ir pra colégio militar cedo (pra isso, precisa se mudar pra uma cidade que tenha uma Agulhas Negras da vida e passar), sobreviver ao ritmo puxado (muito pior que o de bons colégios particulares) e ter cacife pra crescer dentro da profissão (nem todos tem, ficam estagnados como sargento e ficam nisso).

No fim...

...
 
Última vez editado:
Entrou
15/7/20
Posts
754
Reactions
972
Hoje em dia a coisa está tão difícil que tem muito mais gente querendo entrar do que vagas. Quem não quiser servir é só dizer que não quer, já quem quiser servir a maior chance é de não conseguir a não ser que tenha alguém lá dentro que tenha patente e que ajude.

Exame mesmo só fazem em quem vai servir, o resto é dispensado só com papelada.

Tem notícias de que em muitos lugares tiveram que reduzir o horário dos recrutas para meio período porque o exército não estava conseguindo dar almoço.
Olhando a metrópole vizinha e minha cidade, que nem 200k de habitantes tem, tive a impressão que isso depende do número e contingentes. Quando foi a minha vez, um cara lá perguntou quem queria servir, quase ninguém levantou a mão. Ele só riu e falou que nessa chamada tinha uns 200, e que pelo menos 80 teriam que servir. e pelo que eu percebi eles fizeram questão de escolher aqueles que não queriam. Quase que eu vou junto inclusive( meti um "estudo sinhô", mas ele não caiu muito), se meu tio não fosse militar e conhecesse uns caras lá dentro, tinha passado uns meses desobstruindo vala.

EDIT: O que eu quis dizer é que se tiver muito contingente realmente é isso ai, mas no meu caso que vivo em cidade relativamente pequena, fizeram questão de escolher a dedo quem iria servir devido ao baixo número de pessoas.
 
Última vez editado:

SocialistaDoBem

Grão-Guru
True Gamer
Entrou
22/6/19
Posts
11.267
Reactions
9.824
Não acho ruim passar um ano cortando grama e pintando meio fio. Tudo pelo estado. Nós somos o estado. E os políticos são nossos representantes.

kkkkkk
 

budailuminado

Iluminado
Entrou
16/3/21
Posts
199
Reactions
79
Quando eu me alistei, quem era dispensado não passava por nenhum exame, só mediam a altura, não sei nem se tinha exame médico, e se tinha, era só para quem era chamado para servir
Nem imagino o que acontece, mas esse papo de ser preso e outras penalidades é conversa

ok, mas e se a pessoa se recusar a ficar pelado ?
 

budailuminado

Iluminado
Entrou
16/3/21
Posts
199
Reactions
79
Exato.

Na verdade, isso começou a acontecer uns 6-7 anos atrás, acho que no final do primeiro mandado da Dilmanta, quando ela fez um corte ****** nas forças armadas: já tinha nego quebrado querendo servir o exército não "pela farda", mas pra ter a refeição. Hoje isso tornou-se público em vários lugares - e mostra o nível de miserê que chegamos.

Na minha época (1998), quando fui fazer o alistamento, a parada foi igual na época do meu velho (1968), ou seja, tinha que todo mundo ir lá, torrar um dia inteiro, entrar em várias filas, abaixar a calça, mostrar o ***** pra todo mundo e ainda fazer teste de força (no caso, era um aparelho no qual você pisava e tinha que puxar um peso, parecido com o de academia. E o médico do lado "nem adianta vir com fraqueza, quem puxar menos de X quilos eu vou pegar! Fulano, puxa essa ***** agora!". Depois tu ia pra entrevista, falava onde estudava, o que fazia da vida etc. "Fazer faculdade" não bastava. Só era "automaticamente dispensado" quem era estudante de medicina (porque era o vestibular mais difícil de todos) - o restante, todos tinham chance real de serem pegos (e muitos eram: um amigo meu que passou em administração noturno foi pego, bem como um outro que tinha passado pra engenheira química...). Se você trabalhava e estudava, ou fazia curso integral, tinha que se virar. No final do processo, ainda tinha que voltar e fazer juramento a bandeira.

Na real, não tinha absolutamente nenhum espaço pra choro nem mimimi. Todo mundo calava a boca pro negócio terminar o mais rápido possível.

Mas se na minha época o país já tava na *****, imagine hoje, com esses anos e anos de esquerda nutella no poder... Isso sem falar que o exército tá mais quebrado do que nunca, não tem grana nem pra pagar rango pra cabo. Fico imaginando os garotos nutella, especialmente aqueles mais gayzinhos e com dinheiro, indo numa parada dessas de antigamente. Iriam chorar no Facebook.

De resto, achar que vai seguir carrera militar pelo tiro de guerra é uma das maiores ignorâncias que um homem jovem pode ter. Se quer realmente virar milico, tem que ir pra colégio militar cedo (pra isso, precisa se mudar pra uma cidade que tenha uma Agulhas Negras da vida e passar), sobreviver ao ritmo puxado (muito pior que o de bons colégios particulares) e ter cacife pra crescer dentro da profissão (nem todos tem, ficam estagnados como sargento e ficam nisso).

No fim...

...

Ok, mas e se a pessoa em questao se recusasse a ficar pelado ?

De milhares, milhoes de jovens, deve ter aqueles que se recusam. Nao eh possivel que nunca ninguem se recusou
 

Tiozinho do Dog

Grão-Mestre
Entrou
22/11/18
Posts
2.677
Reactions
1.129
DE NOVO isso? Não lembro se foi antes da "limpa" mas teve um post sobre isso há não muito tempo atrás. Eu mesmo fui dispensado no primeiro exame: Tinha um canal para fazer no molar e o EB decidiu que seria bom não pagarem por isso. O dentista me perguntou se eu queria servir e eu sem alterar a voz respondi "Não, senhor." e ele me enviou para a fila dos que seriam dispensados.
 

Rubro

Novato
Entrou
19/2/19
Posts
83
Reactions
24
ok, mas e se a pessoa se recusar a ficar pelado ?

Ok, mas e se a pessoa em questao se recusasse a ficar pelado ?

De milhares, milhoes de jovens, deve ter aqueles que se recusam. Nao eh possivel que nunca ninguem se recusou

O boneco seria levado pra uma sala separada e ficaria pelado lá na frente do médico.

Depois, por ter se mostrado uma moça envergonhada ele seria provavelmente dispensado do serviço.

O problema é que só chega nessa fase quem vai servir e isso geraria uma série de complicações burocráticas pro pessoal das seções resolver.

BOA RECRUTA, MANDOU BEM!
 

budailuminado

Iluminado
Entrou
16/3/21
Posts
199
Reactions
79
O boneco seria levado pra uma sala separada e ficaria pelado lá na frente do médico.

Depois, por ter se mostrado uma moça envergonhada ele seria provavelmente dispensado do serviço.

O problema é que só chega nessa fase quem vai servir e isso geraria uma série de complicações burocráticas pro pessoal das seções resolver.

BOA RECRUTA, MANDOU BEM!

Mas e se a pessoa se recusar a ficar pelado mesmo em uma sala separada ?
 
Top Bottom